Oração

Oração

sábado, 11 de outubro de 2014

Marcos 10:13-16 Qual o Problema central a se abordar num tema como esse? Certamente o problema não está no PAPEL. Acredito que o problema a ser abordado aqui é bem mais abrangente. Muitas vezes em se tratando de ministério infantil, o problema está no pastor e nele também podem estar as soluções para os desafios deste ministério. Vale dizer logo de início que ministério Infantil é coisa Séria. E para falar de um ministério sério como esse nada melhor do que falar de alguém que levou as crianças a sério: JESUS. É neste texto de Marcos 10 de 13 a 16 que vamos tirar importantes lições sobre como Jesus nos mostra a seriedade no trato com as crianças. William Barclay diz que só compreenderemos a beleza desta passagem quando observamos quando esse fato aconteceu. Jesus estava indo para Jerusalém. Ele marchava para a cruz. Foi nessa caminhada dramática, dolorosa, que ele encontrou tempo em sua agenda e espaço em seu coração para acolher as crianças, orar por elas e abençoá-las. A primeira lição deixada por Jesus aqui é que devemos DEDICAR UM TEMPO PRECIOSO DO NOSSO MINISTÉRIO PARA AS CRIANÇAS. Em muitas igrejas e ministérios as crianças são deixadas em segundo plano. A igreja investe em missionários, seminaristas, músicos, mas não em líderes e professores para o ministério infantil e também não há critério algum para escolha daquelas pessoas que estarão pastoreando o coração de nossas crianças. Como primeira direção para esta reflexão entendemos que o pastor e ou líder do ministério infantil precisa ser como Jesus foi: 1. UM INCENTIVADOR DOS QUE TRAZEM AS CRIANÇAS A JESUS – (10.13) As crianças não vieram; elas foram trazidas. Algumas delas eram crianças de colo, outras vieram andando, mas todas foram trazidas. Devemos ser facilitadores e não obstáculo para as crianças virem a Cristo. Os pais ou mesmo parentes reconheceram a necessidade de trazer as crianças a Cristo. Eles não as consideram insignificantes nem acharam que elas pudessem ficar longe de Cristo. Esses pais olharam para seus filhos como bênção e não como fardo, como herança de Deus e não como um problema (Sl 127.3). Aqueles que trazem as crianças a Cristo reconhecem que elas precisam de Jesus. Era costume naquela época, os pais trazerem seus filhos aos rabis para que eles orassem por eles. A palavra grega paidia referia-se a fase da primeira infância até ao período da pré-adolescência. Lucas usa brephos (Lc 18.15), que a princípio significa bebê, depois também criança pequena, mas nos versos 16 e 17 também tem duas vezes paidion. As crianças podem e devem ser trazidas a Cristo. Na cultura grega e judaica as crianças não recebiam o valor devido, mas no Reino de Deus elas não apenas são acolhidas, mas também são tratadas como modelo para os demais que querem entrar. Adolf Pohl corretamente interpreta o ensino de Jesus, quando afirma: Não deixe as crianças esperar; não hesite em trazê-las para as mãos de Jesus, não conte com “mais tarde”: mais tarde, quando você for maior, quando entender mais a Bíblia, quando for batizado, etc. As crianças podem ser trazidas com muita confiança no poder salvador de Jesus. O reinado de Deus rompe a barreira da idade assim como a barreira sexual (o evangelho para mulheres), da profissão (para cobradores de impostos), do corpo (para doentes), da vontade pessoal (para endemoninhado) e da nacionalidade (para gentios). Portanto, também as crianças podem ser trazidas dos seus cantos para que Jesus as abençoe. (Evangelho de Marcos. 1998: p. 297.) O pastor e ou líder do ministério infantil precisa ser como Jesus foi: 2. UM REMOVEDOR DE OBSTÁCULOS QUE IMPEDEM AS CRIANÇAS DE VIREM A CRISTO – (10.13) Alguém perguntou a Gandi, o líder espiritual da Índia: “Qual é o maior impedimento para o Cristianismo na Índia?” Ele respondeu: “Os cristãos”. Os discípulos de Cristo mais uma vez demonstram dureza de coração e falta de visão. Em vez de serem facilitadores, tornaram-se obstáculos para as crianças virem a Cristo. Eles não achavam que as crianças fossem importantes, mesmo depois de Jesus ter ensinado claramente sobre isso (Marcos 9.36,37). Os discípulos não compreenderam a missão de Jesus, a missão deles e nem a natureza do Reino de Deus. Os discípulos repreendiam aqueles que traziam as crianças por acharem que Jesus não devia ser incomodado por questões irrelevantes. O verbo grego usado pelos discípulos indica que eles continuaram repreendendo enquanto as pessoas traziam seus filhos. Eles agiam com preconceito. Podemos impedir as pessoas de trazerem as crianças a Cristo por comodismo, por negligência, ou por alguma falsa compreensão espiritual, vejamos: a) Achar que as crianças não são importantes; b) Pensar que elas não precisam da Salvação; c) Achar que pessoas “importantes”, tem coisa mais importante do que as crianças para considerar. Isso é uma falsa compreensão do papel e da importância do Ministério infantil. Para desenvolver um bom ministério infantil é preciso dedicar tempo às crianças. Lembre-se: Ministério Infantil é coisa Séria. E digo mais, Ministério infantil não é circo. Por fim, qual seria o real papel do pastor no ministério infantil? 3. O PAPEL PRINCIPAL DE UM PASTOR É ABENÇOAR AS CRIANÇAS – (10.16) Ninguém mais do que Jesus abençoou as crianças. Jesus demonstra amor, cuidado e atenção especial com todos aqueles que eram marginalizados na sociedade. Ele dava valor aos leprosos, aos enfermos, aos publicanos, às prostitutas, aos gentios e agora, às crianças. O “porquê” desse modo de agir de Jesus? Certamente ele conhecia a fundo as necessidades das crianças. Jesus sabia que... Uma criança precisa de amor. Uma criança precisa se sentir segura. Uma criança precisa se sentir aceita. Uma criança precisa de disciplina. Uma criança precisa do reconhecimento do seu valor. Jesus procurou atender essas necessidades básicas da criança. Este exemplo deixado por Jesus no serve de encorajamento. O encorajamento era para os pais das crianças e para as próprias crianças, embora a palavra tenha sido dirigida aos discípulos: “Deixar vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus” (10.14). Jesus manda abrir o caminho de acesso a ele para que as crianças possam vir. Encontramos uma grande verdade enfatizada aqui: A afeição de Jesus às crianças – (10.14) Não é a primeira vez que Jesus demonstra amor às crianças. Ele diz que quem recebe uma criança em seu nome é o mesmo que receber a ele próprio (Mc. 9.36,37). Jesus afirma, por outro lado, que fazer uma criança tropeçar é uma atitude gravíssima (Mc. 9.42). Agora, Jesus acolhe as crianças, toma-as em seus braços, ora por elas, impõe as mãos sobre elas e as abençoa (10.16). Podemos ver neste episódio claramente a indignação de Jesus – (10.14). Jesus se indignou quando viu que os discípulos afastaram as pessoas em vez de introduzi-las a ele. A palavra grega AGANAKTEO sugere uma forte emoção. Este é o único lugar nos evangelhos onde Jesus dirige sua indignação aos discípulos, exatamente quando eles demonstram preconceito com as crianças. Jesus já ficara indignado com seus inimigos, mas agora fica indignado com os discípulos. É a única vez que o desgosto de Jesus se direciona aos próprios discípulos, quando se tornam estorvo em vez de bênção, quando eles levantam muros em vez de construir pontes. A indignação de Jesus aconteceu concomitantemente com o seu amor. A razão pela qual ele se indignou com os seus discípulos foi o seu amor profundo e compassivo para com os pequeninos, e todos os que os trouxeram. Falamos para as crianças comportarem-se como os adultos, mas Jesus ensinou que os adultos devem imitar as crianças. Jesus é enfático, quando afirma: “... porque dos tais é o reino de Deus” (10.14). Isso tem a ver com a natureza do reino de Deus. Como abençoar as crianças???? Jesus não apenas acolhe as crianças e repreende os discípulos, mas faz outras coisas importantes: Ele toma as crianças em seus braços. Com isso Jesus revela seu carinho, aceitação, valorização, proteção e cuidado com as crianças. Ele impõe as mãos sobre as crianças. Os pais trouxeram as crianças para que Jesus as tocasse (Lc 18.15) e orasse por elas (Mt 19.13). Jesus em vez de concordar com os discípulos, mandando-as embora, chamou-as para junto de si (Lc 18.16) e impôs sobre elas as mãos. Jesus invocou as bênçãos espirituais sobre aquelas crianças. Jesus toma a primeira criança em seus braços e coloca a sua mão na cabeça do infante. Então, com ternura ele a abençoa por meio de uma oração valiosa ao Pai, para que seu favor seja derramado sobre ela. Ao terminar sua oração, ele devolve a criança para a pessoa que a havia trazido, pega a criança seguinte, e assim sucessivamente, até ter abençoado todas elas. Para concluir, vale lembrar que receber o reino de Deus como uma pequena criança significa aceitá-lo com simplicidade e confiança genuína, bem como humildade despretensiosa. O reino de Deus é o domínio de Deus no coração e na vida do ser humano juntamente com todas as bênçãos que resultam desse domínio. Entrar no reino é ser salvo, é ter a vida eterna. Nós estamos ajudando ou atrapalhando as crianças de virem a Cristo? Estamos recebendo o reino de Deus com a confiança sincera de uma criança? Jesus, em vários momentos da Bíblia, valorizou e deu grande importância às crianças (Mt 18.1-5; Mc 10.14). Ele disse também (João 21.15) para Simão Pedro apascentar, instruir, doutrinar os seus cordeiros, ou seja, as crianças, já que cordeiro é o filho ainda novo da ovelha. Antes porém Jesus lhe perguntou: “Pedro você me ama?”. Se você ama a Jesus e ama as crianças, certamente você amará o que você faz e o resultado do seu trabalho será o fruto do seu amor a Jesus. Uma enfermeira fazia curativos em muitas feridas de um paciente. Alguém, impressionado, disse-lhe: "Nem por um milhão eu faria um trabalho desses". Ela após ter ouvido o que ele disse respondeu-lhe: "Eu também não, mas faço tudo por amor a Jesus, como se estivesse cuidando dele. Ele me amou, cuidou da minha dor, das minhas feridas. Estou retribuindo esse amor".

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Dinâmicas e jograis

♥Dinâmicas e jograis♥ jogral- Deus cuida de mim - por Priscilla Cavoto Deus sempre cuida de mim Ele fez as flores, as plantas, os animais, Uniu os meus pais, Sim, Ele cuida de mim! Carinho, amor, alegria... Uai, Ele me dá todo o dia! Isso tudo pra eu compartilhar, Deus me deu amigos para amar! Amigos para eu cuidar! Deu também a natureza E esta é uma beleza! Meus animais... Instantes especiais... Minha vida para Deus, sempre quero fazer mais! __________________________________________________________________________________ Dinâmicas para serem usadas com as crianças e com os professores Amar ao próximo como a si mesmo. Os participantes são colocados sentados formando um círculo. A pessoa que está coordenando a dinâmica, sem dizer o objetivo do jogo dá a seguinte instrução: cada um deve escolher uma tarefa para a pessoa que está a sua direita e esta deverá executá-la no centro da roda. Após todos terem dado as tarefas o coordenador dá nova instrução: a tarefa deverá ser executada pela pessoa que a inventou. ____________________________________________ Tomé, onde está a sua fé? É muito parecida com a brincadeira 'Detetive' cujos personagens são: o assassino, o detetive e as vítimas. Na brincadeira 'Tomé, onde está a sua fé?' teremos novos personagens: Jesus, Tomé e os discípulos. Esta é uma brincadeira para ilustrar a mensagem de fé transmitida na passagem bíblica de Tomé. Material: Tiras de papel e caneta. Escreva sobre um papel 'Jesus', sobre outro 'Tomé' e tantos 'Discípulos' quantos necessários para completar o número de crianças. Dobre os papéis e sorteie. As crianças se colocam num círculo e Jesus deve discretamente piscar com um olho para qualquer das crianças, enquanto Tomé tenta descobrir qual criança é Jesus. Jesus é sinal de vida nova, quando ele piscar, se a criança for um discípulo deverá dizer:- 'Jesus está presente e vivo no meio de nós!'Tomé não acredita que Jesus está presente no meio dos discípulos porque não o vê, procura descobrir onde está Jesus. Quando Tomé descobrir, ou pensar que descobriu, este indicará a pessoa dizendo: - Mestre, é você mesmo? Caso a criança que Tomé indicou seja um dos discípulos, estão, quem estiver representando Jesus, manifesta-se dizendo:- Tomé, onde está a sua fé??? Inicia-se a brincadeira novamente! A criança que foi o Tomé pode redistribuir os papeizinhos com os personagens. ________________________________

VII Congresso-Crescendo com Cristo



♥Datas comemorativas♥ Dia das crianças Jogral: O Semeador JOGRAL : A PARÁBOLA DO SEMEADOR Quantidade de crianças: 6 CRIANÇAS + OU -Dicas: Coloque as crianças fantasiadas de plantinhas. Pode ser uma máscara feita de papel cartão e elástico. a roupa dode ser de TNT verde. Você pode variar, colocando algumas de flores, outras de árvores e assim por diante. arrume o jogral em um papel ou pastinha para cada uma delas. Início TODOS- Eis que o semeador saiu a semear.E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho,e, vindo as aves, a comeram. 1ª criança - Outra parte caiu em solo rochoso,onde a terra era pouca,e logo nasceu, visto não ser profunda a terra.Saindo,porém, o sol , a queimou; e , porque não tinha raiz, secou -se. 2ª criança - Outra caiu entre os espinhos, e os espinhos cresceram e aa sufocaram. 3ª criança - Outra, enfim caiu em boa terra e deu frutos; a cem, a sessenta,e atrinta por um. 4ª criança -Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. TODOS - Atendei vós, pois à parábola do semeador. 5ª criança - A todos os que ouvem a palavra do reino e não a compreendem, vem o maligno e arrebata o que lhes foi semeado no coração. 1ª criança - Este é o que foi semeado à beira do caminho . 2ª criança - O que foi semeado em solo rochoso , esse é o que ouve a palavra e a recebe logo , com alegria; TODOS - Mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração; 6ª criança - Em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza. 3ª criança - O que foi semeado entre os espinhos é o que ouve a palavra, porém os cuidados do mundo 4ª criança - E a fascinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera. 5ª criança - Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a aplavra e a compreende; 6ª criança - Este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um. TODOS - Que possamos ser como a boa terra, frutificando e produzindo a cem , a sessenta e a por um. (BASEADO NO LIVRO DO EVANGELHO DE MATEUS CAP.13 VER.3 ATÉ 23) Fonte:trabalhinhos.blogspot _________________________________________________________ JOGRAL INFANTIL CANTO: CRISTO AMA AS CRIANCINHAS ORIENTADORA- Senhor Jesus, aqui estamos diante de ti, um grupo de crianças, que quer expressar sua alegria de serem crianças amadas pelo senhor. TODOS- Olhe para nós com bondade, ó Jesus! VOZ 1- Ser criança é ser cuidada com carinho e dedicação pelos adultos. TODOS- Olhe para nos com bondade ó Jesus! VOZ 2- Ser criança é ter no coração, amor, bondade, respeito, pureza e espontaneidade. TODOS- Olhe para nós com bondade, ó Jesus! VOZ 3- Ser criança é estar crescendo, cada dia diante de Deus e diante das pessoas. TODOS- Olhe para nós com bondade, ó senhor Jesus! ORINTADORA- Ler Mc. 10. 13 - 16 LEITOR- Jesus e as crianças - Então alguns levaram crianças para Jesus por as mãos sobre elas e orar. Mas os discípulos zangaram-se com eles. Aí Jesus disse: Deixem que as crianças venham a mim e não atrapalhem, porque o reino do céu é dos que são como estas crianças. Então pôs as mãos sobre elas , e as abençoou. TODOS- Abençoa a palavra de Deus! ORIENTADORA- O. texto bíblico nos mostra que Jesus gosta das crianças e as abençoa, como também em nenhum momento as recusou. TODOS- (cantam) ORIENTADORA- Convidamos a todos para ficarem em pé e orarmos pelas crianças. VOZ 1- Senhor, pelas crianças aqui presentes e por todas as crianças, faça-as crescer , guardando no coração a alegria, o amor, o respeito e a bondade. TODOS- (incluir a comunidade) Atendei nossa oração, Senhor! VOZ 2- Pelos pais e por todos que cuidam de crianças, para que se lembrem do carinho de Jesus pelas crianças e cuidem delas com o mesmo carinho! TODOS- Atendei a nossa oração, Senhor! VOZ 3- Pelas crianças do mundo inteiro, especialmente pelas crianças tristes e abandonadas para que encontrem pessoas que lhes deem amor, carinho, educação, e alimento. TODOS- Atendei nossa Oração, Senhor! ORIENTADORA- Senhor Jesus, que acolheste e abraçaste as crianças, abençoais as criança desta comunidade, as crianças abandonadas; dê a elas um lar. Cuidai de todas as crianças de nosso mundo, para que elas tenham um lar cristão. cresçam no bem, com amor carinho e educação, que podemos lhes dar. ORINTADORA- convidamos todos para cantar e também como oração, do cancioneiro a canção 204 “ um dia uma criança me parou”. Vamos ser aquela criança que aparece na letra da musica. ___________________________________________________________ A MAIS SUBLIME LIÇÃO (jogral - 5 crianças) 1ª criança- A glória dos filhos são os pais e os filhos a herança do Senhor. Todos- Crianças, agradeçamos a Deus neste dia, pelos pais, pelos filhos, pelo amor. 2ª criança- Guarda o mandamento do teu pai- é o conselho do grande Salomão que acrescenta com sabedoria: 3ª criança- O filho sábio do pai ouve a instrução. 4ª criança- O Senhor disciplina a quem ama como o pai ao filho a quem quer bem. 5ª criança- Corrigindo-os com entendimento, visando a glória de uma vida além. 1ª criança- Como um pai se compadece do seu filho também o nosso Deus assim o faz- se compadece daqueles que O temem. Todos- Dando-nos bênçãos de perdão e paz! 2ª criança- O pai do justo se regozijará; seu coração se enche de alegria. 3ª criança- Pois teme o seu filho ao Senhor, que é o princípio da sabedoria. 4ª criança- Vós filhos, obedecei a vossos pais no Senhor. 5ª criança-Não provoqueis, ó pais, os vossos filhos, criai-os nos caminhos do Senhor. Todos- E crescendo não se desviarão pra honra e glória do Seu Criador. Fonte:trabalhinhos.blogspot ____________________________________________
Prof. Joany Bentes Como educadores cristão, não podemos de forma alguma descurar da responsabilidade em preparar nossas crianças a viverem num mundo globalizado, cuja ênfase é a busca por mais conhecimento. Nossa missão, apesar de difícil, tem de ser integralmente cumprida, a fim de que nossos filhos destaquem-se como testemunhas de nosso Senhor Jesus. Para chegarem à estatura de "varão perfeito" Ef 4:13, os pequenos dependem da orientação correta, embasada na Bíblia Sagrada, pois é na infância que se dá a formação do caráter. Então surge a pergunta: O que é caráter? Existem centenas de definições para caráter, mas após muitas pesquisas podemos concluir que caráter é a capacidade de ação e reação mediante fatos sejam estes bons ou maus. São traços da natureza humana que podem ser alterados e que se constituem a partir das relações familiares, ambientais, pedagógicas e sociais. É imprescindível que pais e professores da EBD estejam cientes de seus papeis como educadores e influenciadores do caráter de seus filhos, para isso Salomão aconselha: "Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, quando envelhecer não se desviara dele" (Pv.22.6). Qualidades que contribuem para formação do caráter: Humildade - "Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz". Filipenses 2:7;8 Mansidão – "Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens". Tito 3:2 Longanimidade – "O Senhor é longânimo e grande em misericórdia, que perdoa a iniqüidade e a transgressão, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta gerações". Números 14.18. Pode-se citar também os frutos do espírito, que se observados contribuíram na formação do caráter da criança. Foi assim com o menino Jesus, ele "...crescia em sabedoria estatura e graça diante de Deus e dos homens" (Lc. 2 . 52)Desde o primeiro momento da vida o ser humano começa a aprender. Quando a criança é pequena (dois a três anos) ela aprende a escolher entre o que é bom e que não é. Nessa idade se desenvolve a parte moral do caráter. Também aprende auto-controle, auto-segurança e desenvolve a coragem. Atenção dobrada as crianças de 0 a 6 anos, período em que incide a educação infantil, o desenvolvimento emocional, cognitivo e o crescimento sensório-motor da criança estão em ampliação e os infantes carecem de uma atenção maior na sua orientação educativa. É importante que professor e aluno tenham um bom relacionamento e para isso o professor precisa ter uma postura que compreenda. a) Saber ouvir os membros do grupo; b) Facilitar a integração do grupo; c) Não ser intransigente ou repressor; d) Estabelecer limites para o grupo; e) Não marginalizar ou rejeitar alguém do grupo; f) Agir de acordo com suas palavras; g) Não usar o grupo para seus interesses pessoais; h) Evitar descarregar os seus problemas no grupo; i) Ser sincero com o grupo. A eficácia do aprendizado depende do professor que deve conservar em mente as qualidades indispensáveis a um bom professor, sem as quais nem métodos criativos, recursos pedagógicos ou didáticos terão qualquer efeito, são eles: a) Ter Cristo como salvador: e senhor da sua vida; b) Ter liderança; c) Ter amor e interesse pelas crianças; d) Ser organizado; e) Cuidar de sua aparência pessoal; f) Praticar o que ensina; g) Pensar nos mínimos detalhes; h) Não desanimar diante de opiniões de pessoas que fazem oposição ao seu trabalho. Importante: O professor da EBD tem que tomar uma postura ,frente as investidas do mundo através das mídias de comunicação,pois as nossas crianças são invadidas e violentadas diariamente com pornografia audiovisual, além de outros conteúdos que deturpam os valores morais que alicerçam a fé cristã. A formação do caráter cristão vai além das limitações humanas, está ligada à ação do Espírito Santo na vida das crianças, fato que só será possível se a criança for estimulada a confiar em Deus. A fé das crianças e a Escola Bíblica DominicalO professor da EBD, que trabalha com os pequenos, precisa estar ciente do seu compromisso e deve ter como objetivo principal "a fé das crianças" LEFEVER, M. (2003). As crianças precisam aprender a falar com Deus, amar ao próximo, amar a Deus, e obedecer a sua palavra. Tais ensinamentos devem ser transmitidos na EBD. Observa o desenvolvimento da fé das crianças por fases: A FÉ DO BEBÊ Conceito-chave: Confiança Relacionamentos significantes: Mãe e Pai. Para uma criança desta faixa etária, somos as mãos e o rosto de Jesus.I I – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 1 A 3 ANOS Conceito-chave: Autonomia Relacionamentos significantes: Pais e professores da Escola Dominical. Tais crianças: • Aprendem através de encenações de histórias bíblicas. • São capazes de aprender que Deus criou todas as coisas. • Compreendem que a Bíblia é um livro maravilhoso, cheio de histórias especiais; é o Livro de Deus. • Aprendem sobre Jesus enquanto se movimentam. Aprendizes tátil-cinestésicos. • Aprendem a orar. III – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 3 E 4 ANOS Conceito-chave: Amor e Iniciativa Relacionamentos significantes: Professores da Escola Dominical, pastor, família Tais crianças:• Gostam de frequentar "a própria igreja" (Escola Dominical). • Aprendem a orar. • Gostam de recontar histórias sobre Jesus. • Aprendem a fazer mímicas de histórias bíblicas e de atitudes de Jesus. • Interessam-se por Deus. • Confundem Jesus e Deus. • Desenvolvem uma consciência sensível. • Perguntam sobre Jesus mais para interagirem com os professores do que para ouvirem respostas. • Desenvolvem conhecimentos bíblicos. • Permanecem apredendo a respeito de Jesus enquanto se movimentam. • Desenvolvem bons hábitos da vida cristã. • Aceitam Jesus como Salvador pessoal. IV – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 5 E 6 ANOS Conceito-chave: Amor e Diligência Relacionamentos significantes: Vizinhança, escola e igreja. Tais crianças: • Podem compreender o conceito de Deus como Criador. • Costumam fazer perguntas. • Temem a Deus porque Ele vê tudo que fazem. • Desenvolvem o conceito de Deus e Jesus como pessoas reais Identificam os personagens da Bíblia como reais. • Consideram a oração importante. • Orgulham-se da capacidade de ler em sua própria Bíblia. • Começam a compreender a "Adoração". • Podem envolver-se em projetos simples, como "ajudar". • 40% passam da aprendizagem bíblica tátil-cinestésica para a leitura visual (palavras e imagens). V – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 7 E 8 ANOS Conceito-chave: Aprender a amar. Tais crianças: • Estão esclarecidas quantos aos conceitos de certo e errado. • Desejam ser boas. • Começam a perceber a influência da consciência e os erros dos outros. • São capazes de sentir vergonha, podem admitir seus erros, mas frequentemente transferem a culpa de seus erros para "outros". • Têm seu interesse por Deus aumentado gradativamente. • Estão amadurecendo os conceitos acerca da morte e da ressurreição de Jesus. • São capazes de estudar a Bíblia sozinhos. • Usam de modo coerente o conteúdo das Escrituras e o que ouvem na Igreja. • Já possuem um desenvolvimento significativo na área do pensamente simbólico. • Estão ampliando sua visão de mundo. VI – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 9 A 11 ANOS Conceito-chave: Justiça Relacionamentos significantes: Grupos de mesmo nível, igreja e modelos de lideranças seculares. Tais crianças: • Correspondem ao ensino sobre o caráter de Deus. • Aprendem mais facilmente a respeito da vida cristã por intermédio de projetos do que por exposição. • Começam a constatar que devem seguir suas próprias convicções acerca de Jesus. • Propõe perguntas mais difíceis do que as dos adultos. • São capazes de compreender o plano da salvação. • Compreendem o propósito da oração. • Desenham heróis da Bíblia e da igreja local. • Possuem uma necessidade de pertencer ao grupo. • Personalizam sua sexualidade a partir de uma perspectiva cristã. • Adquirem uma compreensão básica da ética bíblica. • São capazes de julgar suas póprias ações à luz das atitudes de Jesus. • Frequentemente fazem confusão entre o certo e o errado. VII – A FÉ DOS ADOLESCENTES Conceito-chave: FidelidadeA maioria das pessoas que consolida sua fé até os 12 anos permanece fiel pelo resto de sua vida. Conclusão É inegável que a criança que tem uma fé alicerçada em Cristo terá seu caráter formado dentro dos padrões espirituais e nesse sentido a EBD é em todos os aspectos um centro de influência positiva. O professor da EBD deve buscar em Deus e na sua palavra a sabedoria necessária para conduzir os pequenos ao principal objetivo da vida cristã, "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" Efésios 4:12,13. REFERÊNCIAS BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Versão corrigida.LEFEVER,M.Métodos Criativos de ensino: como ser um professor eficaz.Rio de Janeiro:CPAD,2003

Programação culto infantil!

O Cultinho mensal para as crianças é de suma importância, uma vez que elas esperam sempre algo de novidade, e em cada culto temos muitas bênçãos para nossas crianças, por isso aproveite bem esta apostila, e que ela sirva para sua edificação, em seu ministério. Pontos importantes do Culto infantil das nossas crianças. Oração Louvores História (palavra) 3.1 Recursos usados para a pré e pós-ministração da história (data-show, retro, cartazes, painéis, fantoche, dramatização com estilo época e etc..) Participação das crianças no culto, num todo, seja nos louvores, palavra, e outras atividades. Encerramento com brindes (não é interessante como essas crianças esperam sempre algo? Seja balão, balas, doces, ou lanches) 1. ORAÇÃO É importante desde cedo incentivar nossas crianças a manter o hábito da oração, sabemos que ela é de grande valia para nos manter em contato com Deus, e sabemos muito bem da dificuldade de nós adultos mantermos este hábito, por isso se nossas crianças chegam na Igreja, vamos pedir para elas “ajoelharem-se” e a orar, e não ficar nos bancos correndo para lá e para cá. Tenho por certo que o hábito vai ser tornar futuramente em um aliado de nossas crianças, uma vez que fazendo hoje, não esquecerão amanhã. 2. LOUVORES Eles adoram cantar, e se não ganharem oportunidade, “ficam bravos ou tristes”. Por isso é importante fazer uma “escala do culto em si, quem vai ler a palavra, quem vai orar, e quem deseja louvar”. Mas sempre há muitas crianças para louvar, então faça o seguinte, converse com eles e diga que “se não der para louvar neste culto, terão oportunidade no próximo” mas não esqueça de deixar anotado os nomes, por que se esquecer eles certamente não esquecerão. Além do que incentivar elas a louvarem é uma benção pois podem estar “gerando” um talento, e ainda assim estamos incentivando-os a sempre louvar DEUS, o que é mais importante. 3. HISTÓRIA BÍBLICA [PALAVRA] Uma das partes mais importantes do Culto, certamente sua equipe de (tios e/ou tias) convidaram alguém para trazer a mensagem, e um fator importante, na verdade sempre desejo convidar alguém que PREGUE para as crianças e traga a igreja também uma mensagem com a mesma direção. O que vemos é de fato um (a) pregador (a) ser convidado (a) para crianças e prega para a igreja e as crianças ficam "boiando" por favor, eles esperam o ano todo para esse evento, aí vem alguém e prega para os adultos ? É certo que pode haver direção para adultos , existem exceções, no entanto se é culto infantil, pregue para as crianças. Muito cuidado na escolha, deve-se conhecer a pessoa, ou pelo menos ter indicações a respeito dela. E sempre ter o aval do PASTOR LOCAL e consultá-lo antes. 3.1 RECURSOS VISUAIS PRÉ E PÓS-MENSAGEM Este tema está ligado á ministração da história, uma vez que varia de acordo com cada convidado para ministrar. Podemos abusar tranqüilamente no uso de recursos para a ministração, claro que desde que os mesmos estiverem disponíveis, entre tais temos: · Cartazes, veja meus cartazes · flanelógrafos, · data-schow, · retro-projetor (slides) · fantoches (em algumas igrejas não é permitido – sempre que viajo pergunto antes se posso levar, é bom respeitar os costumes locais)veja nosso fantoche. · Recursos visuais para auxilio na fixação dos versículos, veja o modelo. · Recursos visuais para o pós-mensagens, para testar a fixação da mensagem pelas crianças (Perguntas) no meu caso eu uso a minha ovelhinha MÉÉ, conheça a Méé 4. PARTICIPAÇÃO DAS CRIANÇAS Elas são “donas do culto” logo tem muito que participar, desde o começo, eis algumas participações delas no culto: · Cantar hinos da harpa · Leitura da bíblia · Louvores · Dramatizações (se tiver) · Fantoches (se tiver) · Coreografias (se tiver) · Auxílio para segurar visuais de versículos de pré-mensagem com preletor (a) O importante é usá-las com empenho, dando a elas a ênfase de estar sempre envolvido na obra do MESTRE e servindo a Cristo e a igreja, amanhã eles serão obreiros (as). 5. ENCERRAMENTO - BRINDES – LANCHES É impossível terminar um culto infantil sem dar a eles algo. Nem que seja uma lembrançinha de E.V.A feita com amor e carinho. Mas se for doce, balas, pipocas, lanches e balões, pronto, você já os conquistou-os para que eles venham no próximo culto, e é importante salientar a eles para que TRAGAM VISITANTES, seu amiguinho de escola e etc. Pois assim você já os ensina a serem “evangelizadores” desde cedo. É claro que isto depende muito dos recursos disponíveis em cada grupo, mas lembre-se um esforço para incentivá-los a estar na igreja é sempre benéfico.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

HISTÓRIA INFANTIL - ALEGORIA DAS FERRAMENTAS Há muito tempo atrás, em uma carpintaria, quando todo o trabalho havia acabado, as ferramentas começaram a conversar entre si. Elas discutiam para saber qual delas era a mais importante para o carpinteiro. O Sr Martelo começou: Certamente que sou Eu o mais importante para o carpinteiro! Sem mim os movéis não ficarão de pé! Pois eu tenho que martelar os pregos! O Sr Serrote logo quis dar a sua opinião: Você Sr martelo? Você não pode ser! Seu barulho é horrível! É ensurdecedor ficar ouvindo toc, toc, toc... O mais importante sou Eu! O serrote! Sem mim, como o carpinteiro serra a madeira? Eu sou o melhor! - Não, não, não! Falou a dona Lixa: Eu sim sou a melhor! Se não fosse Eu os movéis não seriam tão lisinhos e perfeitos! Eu sou a mais importante! - Ah! Mais não é mesmo! Disse a dona Plaina: Eu é quem deixo tudo retinho, e tiro as imperfeições da madeira. Eu sim sou a indispensável...Tsc, tsc, tsc... - Nada disso, disse a dona Chave de Fenda: Se não fosse Eu, como o carpinteiro iria apertar os parafusos? Eu sim sou a melhor! - Ah! Não! Que absurdo! Disse o Sr Esquadro: Eu sou o mais importante! Sem mim os movéis ficariam tortos! O carpinteiro nem saberia a medida. Eu sou o mais importante! As ferramentas ficaram discutindo até o dia amanhecer... O carpinteiro chegou para trabalhar, colocou sobre a mesa a planta de um móvel e começou a trabalhar! Ele usou todas as ferramentas. Usou o serrote, o martelo, o esquadro, a lixa, a plaina, os pregos, o martelo, a chave de fenda, a cola e o verniz para deixar o móvel brilhando... Enfim ele acabou. Chegou o fim do dia o carpinteiro estava cansado, mas feliz com o que tinha feito! Seu trabalho com as ferramentas tinha ficado ótimo! O carpinteiro foi para casa. Enfim, as ferramentas voltaram a conversar. Só que agora elas ficaram admirando o que tinham feito todas juntas e o carpinteiro. Sabe o que elas fizeram? Um púlpito de uma igreja! E tinha ficado lindo! Elas chegaram a uma conclusão: Todas eram importantes! Aos olhos do carpinteiro. Ele usou todas! Sem exceção de nenhuma! E o móvel tinha ficado lindo!Elas descobriram que quando todas trabalham juntas tudo anda melhor! (Moral da história) O carpinteiro representa JESUS ou o Pastor de sua igreja, dependendo como você vai usar essa história. As ferramentas representam os membros, ou crianças. Cada um de nós tem um valor importante no reino e na obra de DEUS. É ele quem nós usa e capacita para fazermos a sua obra. Cabe a nós como ferramentas nos deixar ser usados. (Você professor pode colocar a moral que você achar que se encaixa melhor para sua turma)

APAIXONADA POR JESUS E ELE POR MIM

JOGRAL

___________________________________________________________________________Jogral - O Nome de Jesus
Todos - Muito antes do Messias À terra vir habitar Seu Pai procurou com amor Um lindo nome lhe dar.
1 - Seu nome será Maravilhoso,Porque maravilhas ele fará, Fará prodígios e curas, Até mortos ressuscitará.
2 - Seu nome será Conselheiro Porque conselhos dará,Através de sermões e parábolas Que ao povo pregará.
3 - Seu nome será Deus Forte Pois a tudo vencerá Vencerá até a morte, Porque ressuscitará.
4 - Seu nome será Príncipe da PazPorque a paz pregará. E quem for pacificador Bem-aventurado será.
5 - Seu nome será Pai da Eternidade Porque eterno ele é.Ele estava no princípio com Deus Reconciliando o mundo através da fé.
6 - Seu nome será Emanuel,"Deus Conosco" - quer dizer.Quem o buscar de coração Ele pode socorrer.
7 - Seu nome será Cristo Porque será sofredor,Será ferido, humilhado E pregado numa cruz de horror.
Todos - JESUS - é o mais belo nome Acima de todos está.

SE NÃO AGRADA A DEUS TÔ FORA

SE NÃO AGRADA A DEUS TÔ FORA
DIGA NÃO AO HALLOWEEN