sexta-feira, 28 de agosto de 2009

HISTÓRIA - O Surdinho

HISTÓRIA - O Surdinho

O SURDINHO


CARTAZ NÚMERO 1:

A meninada toda estava na rua. Como era divertido brincar com o surdinho!

- Sur – di – nho! Sur – di – nho!

- Chamavam os meninos.





CARTAZ NÚMERO 2:

E batiam nele de um lado e de outro. O menino surdinho ficava até tonto.

Os garotos ás vezes caçoavam tanto nele, mas tanto, que o surdinho corria pra casa, chorando, chorando.

Um dia os meninos abusaram demais. Chegaram até a lhe dar tapas, pisar nos pés, beliscar e empurrar com tanta

força que o surdinho até caiu no chão.

Ele queria ir para casa, mas não podia... os moleques o agarravam...

Assim que conseguiu escapar, fugiu, deixando os moleques rindo e caçoando dele.

Mamãe. – vocês sabem como são as mamães – logo percebeu que alguma coisa não ia bem. Correu e abraçou o Surdinho.

- Que foi, filhinho, que foi?

Ele também abraçou a mamãe e chorou muito, muito. Depois enxugou os olhinhos, ameaçou um sorriso, jogou um beijo para a mamãe e saiu. Ela estava fazendo o almoço e com gestos falou que ele não se demorasse.

A mamãe ficou em casa com um aperto no coração.

Surdinho passou escondido pela rua. Quando viu um menino, entrou num jardim até que o garoto sumiu. Olhou dos lados e não viu ninguém. Começou a correr, até ficar muito cansado. Daí começou a andar devagar. Estava tão distraído que nem sabia por onde andava. Seu coraçãozinho estava muito apertado. Ele já estava fora da cidade. É muito longe não???

De repente, Surdinho viu o trilho do trem. Começou a andar nele e a se equilibrar. Pulava nos paus que seguravam os trilhos. Achou tão gostoso brincar ali, sozinho, que até começou a sorrir. E pulava, pulava e ria bastante. Era a primeira vez que isso acontecia.

Sua mãe, lá em casa ficou aflita, e cada vez mais aflita. Lembrou-se do Surdinho, da sua tristeza, e pensou:

- Está acontecendo alguma coisa com ele. Saiu correndo para a rua. Viu os meninos brincando.

- Hei? Sabem do Surdinho?

- Ele não está em casa?

- Não, ele saiu e não voltou. Ajudem-me a procurá-lo.

Surdinho continuava correndo pelo trilho, rindo, rindo.

- Piuiiiii... Apitou o trem, lá longe.



CARTAZ NÚMERO 3:

A mamãe do Surdinho ouviu aquele apito e gritou:

- O trem, o trem!

Ela correu em direção à linha do trem. Os meninos foram atrás.

- Piuiii... Apitou o trem mais forte, mais perto.

De longe a mamãe viu o Surdinho brincando, pulando, pulando e o trem se aproximando.

As crianças começaram a gritar. Ficaram desesperadas. Queriam passar na frente do trem.

- Surdinho! Surdinho! Gritavam... Mas ele não ouviu nada, nem mesmo o apito do trem.

A sua mamãe chorando, gritou: - filhinho!

O maquinista do trem viu o menino, tentou brecar, mas não deu tempo...




CARTAZ NÚMERO 4:

Agora Surdinho estava feliz lá no céu, com Jesus.

Ninguém caçoava dele e ele podia ouvir tudo, tudo mesmo. Ouvia a voz de Jesus, tão meiga, tão amiga. Voz que ele aqui na terra já conhecia porque era um garoto que andava nos caminhos de Deus. Nunca faltava nos Cultos de Crianças. Era obediente e bom. Surdinho estava agora na sua casa de verdade. Na casa do Pai celestial, onde só havia alegria. Quem é de Jesus não precisa ter medo de morrer.

Alguma vez você já dormiu no carro do papai? E ele o pegou no colo, o levou com carinho para a sua caminha? Quando você acordou no dia seguinte, não estava mais no carro e sim na sua caminha...

A morte é assim. Você dorme aqui na terra e Jesus com carinho leva você para a outra casa. Quando acordar no dia seguinte, não está mais na terra e sim no Céu, no lugar de delícias. Isto foi o que aconteceu com o Surdinho.




CARTAZ NÚMERO 5:

Mas os meninos... Estes sim... Choravam arrependidos. Haviam maltratado tanto o Surdinho, que pena...

Agora o jardim perdeu a graça. A rua ficou triste sem o Surdinho. As crianças não quiseram mais brincar na calçada. Mas elas nunca mais caçoaram de outro menino. Nunca mais jogaram pedra num aleijado. Nunca mais riram de um bobinho. Nunca mais baretam num surdinho. Nunca mais... nunca mais.

E vocês?

Disse Jesus:

“Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”.

Mateus 22:39

Conchita

Conchita

CONCHITA


FIGURA 1:


--- Oi, crianças! Sabem quem eu sou? Sou uma abelha. Meu nome é Conchita e moro numa grande colméia. Sou ainda criança, mas sei que quando crescer, vou me tornar uma operária que dará muita alegria à rainha.
Outro dia, meu amigo, o bem-te-vi, me perguntou:
--- Por que vocês têm uma rainha? Nós, os pássaros, não temos. Como é a sua rainha?
Eu respondi ao meu amigo:
--- A rainha é a maior abelha da colméia. Todos a amam, respeitam trabalham para que seu reino cresça, pois dela nascerão novas abelhas. Sem a rainha, a colméia acabaria, pois ela bota muitos ovos por dia. A cada dia, nascem novas abelhas na família da rainha.
--- Mas todos os dias nascem abelhas na colméia? – perguntou assustado meu amigo – E vocês não passam fome?
--- Não. - eu respondi – Para que ninguém passe necessidades, o trabalho da colméia é distribuído entre suas operárias.
--- E o que faz uma operária? – perguntou o bem-te-vi – Posso conhecer o trabalho de uma delas?
--- Está bem, amigo, vou apresentar-lhe uma de minhas amigas, e ela mesma dirá qual é o seu trabalho.

E vocês, crianças, querem conhecer uma operária? Pois bem, aí está ela.


FIGURA 2:


--- Olá, eu sou uma operária. Meu trabalho na colméia é muito importante. Eu e minhas amigas produzimos mel e cera e cuidamos para que nunca falte alimento.
--- Aqui na colméia moram também os zangões, que são os maridos da rainha, mas também seus servidores. Eles não trabalham, por isso a lei da colméia diz que se faltar alimento, os zangões devem ser mortos.


FIGURA 3:

--- Na nossa colméia todos vivem felizes, pois a rainha é justa e bondosa. Ela escreveu um livro especial que todos respeitam muito. É o “Livro do Bem-Viver”. Ele é muito precioso para nós, pois ali estão escritas todas as promessas da rainha. E quando ela promete alguma coisa, ela cumpre. A rainha nunca falha em suas promessas; e tudo o que ela pede é que todas trabalhem e dêem a décima parte do alimento para o sustento da colméia.


FIGURA 4:

--- Bem, agora que vocês já conhecem como funciona a minha “casa”, vou contar a vocês uma história triste que aconteceu ali. Certa ocasião, algumas operárias não quiseram mais trabalhar e outras reclamavam: --- Eu já dou mais do que o suficiente em trabalho e comida. Não vou mais trabalhar!
Havia as que gritavam revoltadas: --- Estão mexendo no meu estômago! Não vou mais à procura de comida!
Então foi um alvoroço total! Um zum-zum-zum tremendo! Como resultado, a comida começou a faltar.
Os dias foram passando e a fome apertando. Uma operária, guarda da rainha, voou gritando pela colméia: “Todos precisam contribuir com seu trabalho e a décima parte do seu alimento! Os ninhos precisam ser cuidados e os zangões precisarão ser mortos!”

FIGURA 5:

--- “Epa! Isso não! – Os zangões ficaram apavorados. – Vamos correndo falar com a rainha!”
--- Rainha, por favor, a senhora precisa ter uma conversa com a colméia, pois além de estarmos morrendo de fome, estamos também “morrendo” de medo de sermos mortos!


FIGURA 6:

Então a rainha convocou a colméia para uma reunião, e no seu “Livro do Bem-Viver”, leu o seguinte: “Todos devem trazer a décima parte do seu alimento, para que não falte mantimento na minha colméia. Assim, ninguém passará necessidade, todos serão felizes e eu não permitirei que abelha alguma venha roubar nosso mel.”
--- Daí, amiguinhos, eu, a Conchita, foi quem teve uma grande surpresa, pois eu não sabia que crianças também podiam participar. Quando ouvi a rainha dizendo que todos deveriam contribuir, fiquei animada. Então fui correndo falar com a mamãe e lhe perguntei: “Mamãe! Mamãe! Posso conseguir alimento e contribuir com a colméia?” – “Sim, Conchita, - ela respondeu – a rainha merece o melhor que pudermos oferecer.”


FIGURA 7:

--- Vocês, crianças, sabem de onde nós, abelhas, retiramos alimento? Sim, das flores! Retiramos dali um pozinho chamado pólen e néctar, e com eles fabricamos o mel.
--- Depois que falei com a mamãe, saí muito feliz. Voei de flor em flor e trouxe todo o alimento que consegui carregar. E na colméia entreguei a décima parte de tudo, para que fosse usado da melhor forma. As minhas amigas também reconheceram que nossa rainha estava certa e voltaram a trabalhar. Todos voltaram a ser felizes, mas principalmente os zangões, que agora não precisariam ser mortos.


FIGURA 8:

--- Agora sei que dar é melhor do que receber, pois dando, posso participar no auxílio das necessidades de todos. E como na colméia todos são irmãos, eu ajudo a fazer do reino um lugar melhor para se viver.

E vocês, amiguinhos? Já pensaram em como podem participar do sustento da igreja de onde fazem parte? Ela se parece muito com uma colméia. Ali todos devem se amar e seguir os ensinos que estão no Livro do Rei Jesus, que é a Bíblia. Ele tem um grande interesse em que sua igreja cresça, e para isso, nós podemos participar com nossas orações, trabalho, nossa oferta e participação nos cultos e na Escola Bíblica.

Tuti - história sobre obediência

Tuti - história sobre obediência










Perpétua

Perpétua






Ana Coração

Ana Coração












Sujão

Sujão







Bola de Neve

Bola de Neve










APAIXONADA POR JESUS E ELE POR MIM

JOGRAL

___________________________________________________________________________Jogral - O Nome de Jesus
Todos - Muito antes do Messias À terra vir habitar Seu Pai procurou com amor Um lindo nome lhe dar.
1 - Seu nome será Maravilhoso,Porque maravilhas ele fará, Fará prodígios e curas, Até mortos ressuscitará.
2 - Seu nome será Conselheiro Porque conselhos dará,Através de sermões e parábolas Que ao povo pregará.
3 - Seu nome será Deus Forte Pois a tudo vencerá Vencerá até a morte, Porque ressuscitará.
4 - Seu nome será Príncipe da PazPorque a paz pregará. E quem for pacificador Bem-aventurado será.
5 - Seu nome será Pai da Eternidade Porque eterno ele é.Ele estava no princípio com Deus Reconciliando o mundo através da fé.
6 - Seu nome será Emanuel,"Deus Conosco" - quer dizer.Quem o buscar de coração Ele pode socorrer.
7 - Seu nome será Cristo Porque será sofredor,Será ferido, humilhado E pregado numa cruz de horror.
Todos - JESUS - é o mais belo nome Acima de todos está.

SE NÃO AGRADA A DEUS TÔ FORA

SE NÃO AGRADA A DEUS TÔ FORA
DIGA NÃO AO HALLOWEEN