quinta-feira, 17 de setembro de 2009


CINCO MANEIRAS DE AFASTAR SEU FILHO DA IGREJA

Oliveira de Araújo

Provérbios - 22 - 6 : 6

PRIMEIRA:

Diante das menores dificuldades, tais como indisposição, chuva, frio, cansaço, não vá aos cultos nem à Escola Bíblica. Com isso, seu filho vai crescer com a idéia de que participar das atividades da igreja não é assim tão necessário. "E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quando vedes que se vai aproximando aquele dia" (Hb 10.24,25).

SEGUNDA:

Quando estiver à mesa ou em reuniões da família, faça críticas ou comentários negativos sobre as orientações do pastor e de outros líderes da igreja. Assim, seu filho vai crescer não tendo respeito por eles, nem dando crédito aos seus ensinos. "Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós" (1Ts 5.12,13).

TERCEIRA:

Cuide para que seu filho cresça num lar que não seja diferente de qualquer outro. Afinal, que valor há em aplicar os princípios da palavra de Deus a todos os aspectos da vida familiar? "E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te" (Dt 6.6,7).

QUARTA:

Gaste diante da televisão todo o tempo que passa em casa, em vez de separar parte dele para a leitura da Bíblia e oração. Basta apenas orar na hora das refeições. Com certeza, seu filho aprenderá que oração e estudo da palavra de Deus não são coisas importantes para a vida do crente. "E o terá consigo (o livro da lei), e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, e a guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, a fim de os cumprir" (Dt 17.19).

QUINTA:

Comente à vontade e sem misericórdia a vida dos demais membros da igreja e de outras pessoas. Depois, aos encontrá-los, não deixe cumprimentá-los com um forte abraço e um largo sorriso. Com isso, seu filho terá a impressão de que a vida cristã é pura hipocrisia e desejará seguir o mesmo caminho. "Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas moderados, mostrando toda a mansidão para com todos os homens

" (Tt 3.2).

FAÇA ISTO:

Incentive seu filho a ser um cristão verdadeiro e a ter compromisso com Deus e com a igreja. Seja um exemplo para o seu filho. Transmita a seu filho os valores da palavra de Deus. Se ele ainda não fez uma decisão por Jesus, ajude-o a fazer isso. Faça o possível para que ele seja feliz e cumpridor dos seus deveres como cristão e como cidadão.

"Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele" (Pv 22.6).

QUANDO PAIS FALHAM

Pr. Davi Liepkan

Talvez alguns pais achem que não precisam ser advertidos quanto à forma de se criar filhos. Talvez até pensem, que pelo número de anos de experiência e de filhos não precisem de conselhos. Então lembre-se de uma coisa (ao ver a ilustração ao lado): "Nunca pense que você não precisa de advertências".

Quero falar sobre: "QUANDO PAIS FALHAM". Nós temos na Bíblia muitos exemplos de pais que falharam e as consequências dessas falhas nas vidas dos seus filhos. Devemos aprender para não falhar. Os pais e futuros pais devem acreditar que falhas parecidas podem ser cometidas por nós.

Tomando alguns exemplos de personagens bíblicos, descobrimos primeiramente que: Um pai que falha na atenção que deveria Dar aos filhos, cria indivíduos sem referências. Pode ser por causa do trabalho, pode ser por causa de divertimentos, os quais o pai "precisa ter", que deixam os filhos esquecidos e sem a atenção paterna que merecem. Na Bíblia temos um exemplo de um pai que certamente não dispensou aos seus filhos a atenção que else precisavam ter. Estou falando do Rei Davi. Ele tinha inúmeras esposas, e estava ocupado com elas, com as guerras, com expansão do seu reino, com as construções. Uma coisa eu posso garantir, Davi não deve ter dado atenção aos seus filhos porque a Bíblia relata coisas horrendas feitas por alguns deles. Essa falta de atenção criou um filho como Amnon, cujo relato está em 2 Samuel 13. Amnon se apaixonou por uma "meia-irmã" (filha do seu próprio pai Davi, mas de uma mãe diferente). Amnon trama uma forma de atraí-la para a sua Casa. Ele pede ao seu pai, Davi, que enviasse a sua irmã Tamar para fazer-lhe comida, pois alegou estar doente. Quando a moça vai fazer o que lhe haviam pedido, ela é estrupada pelo seu irmão. Depois ela a dispensa, dizendo que o nojo que ele agora tinha dela era maior do que a paixão que ele sentia antes. Amnon foi assassinado por outro filho de Davi, Absalão, dois anos mais tarde, como vingança. Vamos falar de Absalão mais adiante. Sem referências para a sua vida, Amnon se tornou um estuprador. E coisa semelhante pode acontecer com os filhos que não possuem a atenção de seus pais hoje em nossos lares. Pense nisso e mude de atitude. Não crie indivíduos sem referências morais e éticas, simplesmente por você não estar por perto para ouví-Los, ensiná-Los conversar com else.

Também descobrimos que: Um pai que falha no exemplo que deveria Dar aos filhos, cria possíveis perdedores. Andando um pouco mais na história bíblica chegamos a Salomão. Este rei, apesar de ser conhecido pela sua sabedoria, no decorrer de sua vida começou a se desviar de tudo o que Deus havia dito. Ele, por exemplo, começou a se casar com mulheres de povos com religiões pagãs, contrariando a ordem de Deus. E ainda se dedicava a construir templos para os deuses de suas esposas. Veja se Salomão podia Dar um bom exemplo para seus filhos. Ele simplesmente possuia 700 esposas e 300 concubinas. Uma esposa de Salomão só voltaria a dormir com ele dois anos e meio depois! Um pai como Salomão, preocupado com suas riquezas e glória, bem como com as suas esposas idólatras, não podia Dar um bom exemplo para os seus filhos. Eu sei que nenhum homem hoje chegará perto do recorde de Salomão com relação ao número de mulheres em sua vida. Mas, homens, prestem atenção: apenas uma mulher "extra" na sua vida, além da sua esposa irá gerar, além de um divórcio e grandes dores de cabeça, um mal exemplo que irá criar um "Roboão". Roboão foi um dos filhos de Salomão (1 Reis 12), que o sucedeu em seu trono. Conta o relato bíblico que ele foi tão arrogante que acabou divindo o reino de Israel para sempre. Quando os líderes do povo pediram que ele facilitasse a vida deles com cargas de impostos menores ele disse: "o meu dedo mindinho é mais grosso que a cintura de meu pai". Ele aumentou a carga sobre o povo, causando a perda do controle de Israel e a sua desagregação. Ele foi um perdedor arrogante. Mas onde estava Salomão que não viu em que o seu filho e sucessor estava se tornando? Estava preocupado com as mulheres, com o dinheiro, dando mal exemplo e isso gerou um Roboão como filho.

Vemos em mais um exemplo na vida do rei Davi que: Um pai que falha no seu papel dentro do lar cria inimigos. Que Davi não foi um exemplo de pai já sabemos. Já falamos daquele filho que estuprou sua própria irmã, o Amnon. Mas o Absalão, que foi quem se vingou de Amnon, se tornou um Grande inimigo de seu pai. Ele arregimentou soldados para enfrentar o rei. Davi o amava muito, a ponto de ter chorado tanto quando Absalão morreu, que os seus soldados ficaram desmotivados. Mesmo assim, Absalão foi produto de um pai que certamente não acompanhou seu filho. Outro filho de Davi, Adonias, tentou roubar o trono antes da morte de seu pai. Ele foi um usurpador do trono. Davi teve que ungir Salomão como rei às pressas porque Adonias estava tomando o trono. Eu fico imaginando se o rei Davi tivesse ficado apenas com a sua primeira esposa e dedicado atenção integral aos seus filhos com ela. Quanta dor de cabeça não teria sido evitada!

Vamos falar agora de um exemplo de pai, pois vemos num exemplo do Novo Testamento que: Pais que cumprem o seu papel no lar permitem a manifestação da glória de Deus na vida de sua família e na vida de seus amigos. Quero falar de um pai cujos filhos viam exemplo. Eles viam este pai orando, cantando louvores a Deus, dando esmolas, fazendo o bem ao próximo, respeitando sua esposa, dando testemunho de sua fé no seu trabalho. Estou falando de Cornélio, descrito am Atos 10. Cornélio é descrito como um homem temente a Deus e de exemplo de vida. Ele tem uma visão de um anjo que o manda enviar seus servos para buscar o apóstolo Pedro que estava em outra cidade. Pedro vem até a casa de Cornélio e prega o evangelho. O que acontece? Todos se convertem, recebem o Espírito Santo, todos são batizados. A família, servos e soldados subalternos de Cornélio são abençoados por causa da fé daquele pai de família. Cornélio era um comandante de um batalhão do exército romano. Poderia ter todas as desculpas para não dar atenção aos seus filhos. Mas o texto diz que ele era exemplo. Veja o que acontece quando você é um "Cornélio": Deus se manifesta na vida da sua família e de seus amigos. A glória de Deus se manifesta na nossa família quando somos pais que buscam acertar.

Você, homem! O Inimigo quer destruir a sua família, mas você deve lutar contra isso. Comprometa-se com Deus. O mundo quer dizer que o "homem é assim mesmo, tem que provar que é homem". Diga não! Seja um exemplo na educação e exemplo aos seus filhos e você abençoará a sua vida e a vida de todos ao seu redor. Amém!

ENSINANDO PEQUENINOS (BEM PEQUENOS) A ORAR

As crianças devem ter o privilégio de aprender a falar com Deus. Este privilégio elas podem ter, tão logo consigam balbuciar as primeiras palavras. Ensinai as crianças a proferir suas simples palavras de oração. Dizei-lhes que Deus se deleita em que elas clamem e Ele.”

Que o professor e pai apresente à criança um assunto, um motivo pelo qual orar, fazendo-as repetir umas poucas palavras muito simples, com você ou após você. Isto as ajudará a iniciar cedo sua vida espiritual, enchendo-a de confiança ao se dirigirem a Deus e com Ele conversarem.

Para ajudar as crianças a saberem pelo que orar e para que elas se interessem pelo assunto pelo qual devem orar, mostre (mais não mais que isso) duas figuras a fim de ilustrar aquilo que ela deveria incluir em sua oração.

Peça a seus filhos / duas crianças que venham à frente; dê a cada uma delas uma figura que possam segurar e para qual possam olhar por alguns segundos ou mesmo um minuto.

Então converse com as crianças primeiro com as duas, depois inclua as demais na conversa / no culto do lar, sobre o assunto pelo qual vocês gostariam de orar a Deus, nesse dia.

Se a criança não for capaz de orar por si mesma, sozinha, peça a ela que repita, após você, uma oração bem curta, mencionando especificamente o que foi sugerido pelas figuras.

Reúna figuras que variarão de quando em quando (2 de cada vez). Antes de se ajoelharem para a oração retire as figuras da visibilidade.

As orações deveriam ser curtas. “Um ou dois minutos são o suficiente para qualquer oração normal ou comum”.

Nosso vocabulário, aquele que usamos ao orar, deveria ser tão simples que as crianças sejam capazes de compreender palavra por palavra, unindo-se a nós no espírito de adoração. Muitas vezes nos esquecemos disso e professores oram apenas para outros professores.

“Porque, se eu orar em outra língua estranha (desconhecida) meu entendimento fica sem fruto”. (I Cor. 14:14).

Que é uma língua estranha para uma criança? Por certo é o uso de palavras e frases que ainda não fazem parte de sua experiência.

Tais palavras e frases como, por exemplo “campos estrangeiros”. “campos brancos para ceifa”, “misericórdias concedidas”, “guarda-nos de danos e perigos” etc. Tais palavras não expressam absolutamente necessidades pessoais e nem interesses de crianças menores e será muito certo que é difícil interessar-se alguém em palavras que não lhe façam sentido, que nada queiram dizer...

A oração tem que vir do coração. Têm que fazer sentido. Ser real.

Trabalhe com seus filhos / seus alunos a confidenciarem seus assuntos, dúvidas, conflitos e problemas com Jesus.

Transmitam a confiança em Jesus e o Seu cuidado por cada um de nós, como se fôssemos únicos.

É a oração algo de real para você? Então faça com que ela seja real para os seus alunos.
É a oração uma força dinâmica em sua vida e experiência diária?
Talvez devamos parar e fazer atenção à nossa própria vida de oração, antes de ensinarmos nossos alunos e filhos a orar...
Sua atitude para com oração os convencerá muito mais do que suas palavras.
Sua atitude, seu exemplo os ensinará a cedo começarem sua vida com Deus.


AS CRIANÇAS PRECISAM APRENDER A OBEDECER


Chamou-me a atenção a leitura de um artigo intitulado

"Por que algumas crianças são tão bravas?" . O estudo diz que os bebês nascem com tendências violentas, mas que a maioria aprende a controlar. Diz ainda que esse comportamento violento é natural e que a habilidade social corrige isso. Segundo essa pesquisa, "em média, as crianças atingem o Pico do comportamento violento (mordendo, arranhando, gritando, batendo) no 18º mês de vida. O nível de agressão começa a declinar entre os dois e cinco anos de idade, assim que else começam a aprender outros meios mais sofisticados de comunicar seus desejos e vontades".
Deus fala para os seus filhos: "Não sejam como o cavalo ou o burro, que não têm entendimento mas precisam ser controlados com freios e rédeas, caso contrário não obedecem" (Sl 32.9). Certamente Deus quer nos guiar com o seu bom conselho, tendo da nossa parte um coração disposto a lhe obedecer. Mas, se tivermos um comportamento obstinado contra ele, certamente seremos disciplinados à altura. Esse é o caminho a prosseguir na criação de nossos filhos.


1. A criança precisa ser treinada para viver. A Bíblia diz: "Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles" (Pv 22.6). A criança deve ser ensinada a obedecer de boa vontade. Ela não nasce com essa disposição. Ela precisa ser formada e instruída por meio de exercícios repetidos demonstrados por seus pais.

2. A questão não é ensinar, mas como ensinar. Muitos pais ensinam, mas não levam a criança a fazer valer o que dizem. Precisam criar uma cultura de ameaças para que a criança tenha medo e depois de algumas chantagens, resolva atender os apelos insistentes de seus pais. É como se a criança pensasse: "Coitado do papai e da mamãe; já estão quase chorando. Vou atendê-Los antes que se desesperem".. Outros pais conseguem ensinar a criança a obedecer logo que falam. Isso não depende da criança, mas dos próprios pais.

3. Um exemplo de criação ideal. Samuel, um conceituado juiz em Israel, foi criado de uma maneira a ensinar princípios de boa formação na vida de qualquer criança. Ana, sua mãe, era estéril. Ela orou pedindo a Deus um filho fazendo o seguinte voto: "Ó SENHOR dos Exércitos, se TU deres atenção à humilhação de tua serva, te lembrares de mim e não te esqueceres de tua serva, mas lhe deres um filho, então eu o dedicarei ao SENHOR por todos os dias de sua vida" (1 Sm 1.11). Ela decidiu como criaria a criança. No tempo oportuno ela levou o menino para viver no templo como tinha prometido (1 Sm 1.24-28). O menino foi ensinado a obedecer.

4. Como não se deve criar os filhos. Por outro lado, os filhos do sacerdote Eli eram ímpios e não se importavam com o Senhor (1 Sm 2.12). Eli reclamava com seus filhos, mas não conseguia ensiná-Los o modo correto de viver (1 Sm 2.23-24). Ele tinha consciência da conduta desprezível deles, mas não os puniu (1 Sm 3.13). É lamentável que a pergunta que Deus faz a Eli se aplique a tantos pais hoje: "Por que você honra seus filhos mais do que a mim?" (1 Sm 2.29).
Eli era um sacerdote de Deus, conhecia a Palavra de Deus, era sincero, mas não conseguia ensinar seus filhos a serem obedientes à vontade de Deus. Isso o desqualificou para o ofício que ocupava e sua descendência não foi abençoada.

5. É possível ensinar obediência às crianças. A Bíblia nos mostra com clareza como podemos ensinar nossos filhos a nos obedecer. Está escrito que "a insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela" (Pv 22.15). A criança nasce inclinada para a rebeldia (todas). Algumas são dóceis, outras são voluntariosas, mas todas precisam ser formadas. Muitos pais dizem que não usam a vara para disciplinar seus filhos porque os amam. Mas veja o que diz a Bíblia: "Quem se nega a castigar seu filho não o AMA; quem o AMA não hesita em discipliná-lo" (Pv 13.24). É claro que existem outras formas de disciplina, mas a vara (literalmente) é necessária: "Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá. Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura" (Pv 23.13-14). Ao contrário do que muitos pensam, "a vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a is mesma envergonha a sua mãe" (Pv 29.15). O problema de muitos pais é achar que seu filhinho é como um anjo e só deverá ser disciplinado quando estiver maior. Muitos querem fazer isso quando não conseguem mais. A Bíblia diz: "Discipline seu filho, pois nisso há esperança; não queira a morte dele" (Pv 19.18).. Ao invés de tornar seu filho rebelde ao discipliná-lo, a Bíblia diz: "Discipline seu filho, e este lhe dará paz; trará grande prazer à sua alma" (Pv 29.17).
O que não podemos deixar de perceber, é que, à medida que obedecemos a Deus usando a vara para corrigir nossos filhos, ele cumprirá toda promessa que fez junto com cada mandamento dado. E se quero ser obediente em ensinar meus filhos, devo pegar numa vara para discipliná-los toda vez que falar em tom normal e não for obedecido imediatamente. O amor me leva a isso. Fazendo assim, a criança logo aprende que quando o papai ou a mamãe falam, devem ser obedecidos. O problema é que muitos pais ensinam suas crianças a obedecerem depois da décima ordem e depois de muitas ameaças vazias. A criança obedece de acordo como é ensinada.

6. Não trocar a obediência a Deus pelo sentimentalismo. Eu também sou pai e sei que naturalmente queremos poupar nossos filhinhos queridos da dor. Mas o amor deve falar mais alto em favor de nossas crianças. Alguém duvida do amor de Deus por nós? Acredito que todos cremos no amor incondicional de Deus. E exatamente porque ele nos ama, é que nos disciplina, "pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho. Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Ora, qual o filho que não é disciplinado por seu pai?" (Hb 12.6-7). A Bíblia diz que a dor da surra limpa o caráter (Pv 20.30). Quanto mais cedo isso acontecer, melhor (Lm 3.27).
Apresso-me em dizer que os pais não devem corrigir seus filhos com a vara descarregando sua ira contra eles. Os pais não devem irritar seus filhos (Cl 3.21). A disciplina deve ser feita com amor, mas deve-se corrigir na menor desobediência, sem esperar ficar zangado com a criança. Sempre tive esse cuidado. Muitas vezes depois de uma surra chamava minhas filhas para declarar meu amor por elas e explicar o motivo da disciplina.. Elas me abraçavam como sinal de reconhecimento.
É importante dizer também que a criança deve ser ensinada a aceitar a correção. A surra não pode ser seguida de manifestações de birra e retaliações por parte da criança. Ela precisa aprender que a disciplina é a melhor coisa para ela naquele momento Hb 12.10-11). Atitude de rebeldia após uma surra, deve ser seguida de outra surra, até que ela aprenda a se comportar devidamente. Toda obediência atrasada é desobediência, e por isso deve ser corrigida.
Se ensinarmos a criança a nos obedecer, ela também aprenderá a obedecer a Deus. Mas se ela não atende a nossa voz, tão pouco aceitará a Palavra de Deus.

COMO NÃO EDUCAR SEU FILHO!

1 (11) 1 - Comece na infância a dar a seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando ele crescer,acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que ele deseja.

2 - Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso fará considerar-se interessante.

3 - Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere que ele chegue aos 21 anos e “decida por si mesmo”.

4 - Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas. Faça tudo para ele, para que aprenda a jogar sobre os outros toda a responsabilidade.

5 - Discuta com freqüência na presença dele. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.

6 - Dê-lhe todo o dinheiro que quiser.

7 - Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar frustrações prejudiciais.

8 - Tome partido dele contra vizinhos, professores e policiais. (Todos têm má vontade com seu filho).

9 - Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê desculpa: “Nunca consegui dominá-lo”.

10 - Prepara-se para uma vida de desgosto.

Livro: Educar pela conquista e pela Fé (Professor Felipe Aquino)

OS BENEFÍCIOS DE TER FILHOS

baby02 Escrever sobre “Os Benefícios de Ter Filhos” é como escrever sobre os benefícios de adquirir as minas do Rei Salomão ou herdar a riqueza de Bill Gates. O assunto deveria ser óbvio. Que esse freqüentemente não é o caso mostra não somente um discernimento medíocre, mas uma visão não-pactual da família, onde Deus pactua para abençoar a nós e aos nossos filhos (Sl. 102:28; Gn. 18:19).

A Bíblia apresenta os filhos dos crentes de forma positiva, especialmente no ministério do Senhor Jesus Cristo. Eles recebem proeminência como sendo o capital espiritual e econômico do povo de Deus. Há muitas metáforas impressionantes que anunciam essa verdade.

Metáforas para Filhos

Comecemos com a figura de filhos como bens da conta ativa do povo de Deus. No Salmo 127, o Espírito Santo reúne dois descritores econômicos: “herança” e “galardão”. Não há nada dito diretamente sobre riqueza monetária: uma família temente a Deus é rica o suficiente! Nossos filhos são uma “herança” não simplesmente porque nos são dados como um galardão, mas eles mesmos são o galardão. Eles não são dinheiro no banco, mas o próprio banco!

Isso significa que eles são uma “herança” (dom) pertencente ao Senhor, e generosamente dada ao povo de Deus. Em adição, nossos filhos são “recompensa” de Deus. Uma recompensa da parte de Deus é um pagamento generoso, que mostra que os filhos são bens ativos, e não dívidas. De fato, a santidade da palavra “galardão” é ilustrada por Gênesis 15:1, onde Deus fala de si mesmo como nosso “grandíssimo galardão”. Não somente o Doador do dom é Ele mesmo o Dom, mas nossos filhos são dignificados pela palavra “galardão”.

baby03 A palavra “herança” no Salmo 127 descreve comumente a terra de Israel, que era uma terra de leite e mel, uma terra de promessa. Essa terra era completamente imerecida; ela foi dada pela graça. O mesmo se dá com a palavra “galardão”, que não significa que merecíamos os filhos ou que Deus nos devia. Antes, para parafrasear João Calvino, Deus se fez nosso devedor por Sua graça.

Os filhos são também armamentos ou armas. Lemos no Salmo 127:4: “Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade”. Nos templos da Bíblia, o que era um homem poderoso sem flechas? Um arqueiro sem armas é um tigre de papel, um soldadinho de chocolate. Assim como um soldado precisa de armas para ser poderoso, assim um homem necessita de filhos que são sua força.

Os filhos nos beneficiam, especialmente quando são “filhos da mocidade”. Isso não está falando sobre filhos jovens, mas sobre pais jovens. A Bíblia encoraja casar-se cedo (Ml. 2:14-15; Is. 54:6; Gn. 37:2). Uma razão para o casamento na juventude refere-se à ajuda dos nossos filhos quando declinamos em idade. Nossos filhos são nossa Previdência Social! A filha de John Howard Hilton disse-lhe de joelhos, ao lado do seu leito de morte: “Não há bênção maior para os filhos do que ter pais piedosos”. “E", disse o pai moribundo com gratidão, “para os pais ter filhos piedosos”.

Deus também exibe os filhos como uma aljava. Lê-se no Salmo 127:5: “Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta”. Aqui, felicidade e aljava cheia vão de mãos dadas. Quantas flechas cabem numa aljava é um assunto para debate. Alguns têm pensado que uma aljava constitui-se de doze flechas. Existe um antigo provérbio alemão: “Muitos filhos fazem muitas orações, e muitas orações trazem muitas bênçãos”. Quando o Rev. Moses Browne teve doze filhos, alguém observou: “Senhor, você tem tantos filhos quanto Jacó”; e ele respondeu: “Sim, e tenho o Deus de Jacó para prover para eles”.

baby10 Sem dúvida, isso não significa que as flechas em nossa aljava nasceram tão “retas quanto uma flecha”. Derek Kidner, em seu comentário sobre o Salmo 127, escreve: “… não é atípico das dádivas de Deus que, de início, sejam responsabilidades, na conta passiva, antes de ficarem sendo obviamente bens da conta ativa. Quanto maior a sua promessa, tanto mais provável fica sendo que estes filhos serão apenas uma mão cheia antes de encherem uma aljava”.

Pais de flechas devem endireitar suas flechas, para que voem para o alvo certo. Isso envolve trabalho, amor, paciência e disciplina; assim, nossos filhos são o nosso “capital suado”. À medida que treinamos nossos filhos os caminhos de Deus, haverá tempos quando pensaremos que eles são mais uma mão cheia do que uma aljava cheia. Pode até mesmo parecer que nossas flechas estão voltadas para a direção errada, isto é, contra Deus e mesmo nós. Esse paradoxo é explicado ao ver nossos pedo-bens como um tipo de “gratificação adiada"; plantamos em lágrimas com um saco de sementes, enquanto esperamos trazer os feixes com alegria.

A Alegria dos Filhos

Muitos anos atrás um pai piedoso com muitos filhos jovens disse com tristeza: “A Bíblia fala sobre toda essa alegria de se ter filhos. Ainda estou esperando que essa alegria se apresente. Onde ela está?” O que faz o pai piedoso feliz por ter uma aljava cheia? O Salmo 127 responde: “Não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta”. Ele é “feliz” por ter o que o comentarista luterano Leupold chama de “filhos corpulentos nas portas da cidade.” A porta de uma cidade era onde o povo se reunia para dispensar justiça. O pensamento é que somos “bem-aventurados” por ter filhos que, como advogados, aniquilarão os argumentos dos inimigos de Deus nas portas ("portas” aqui representando o centro judicial ou Câmara Municipal).

É instrutivo que a palavra hebraica para “falarão” no Salmo 127 pode ser traduzida também como “destruirão”. Alguns têm pensado na idéia de “matar” os inimigos na porta, visto que a porta era o alvo primário, sempre que os inimigos sitiavam uma cidade (Gn. 22:17; Gn. 24:60). Em seu Treasury of David, Spurgeon disse dos filhos do Salmo 127: “Eles podem encontrar inimigos tanto na lei como na batalha”. A razão por detrás de tal sabedoria irresistível é a Sagrada Escritura, que faz dos nossos filhos “sábios para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus”.

Um exemplo apropriado de tal sabedoria foi Eduardo VI, o menino-rei da Inglaterra, que colocou “um buraco no tambor” dos seus regentes quando eles instiram que ele permitisse a reintrodução da “idolatria” (os protestantes ingleses do século 16 eram veementes sobre o assunto) por Maria, sua irmã. Quando Eduardo entrou na presença do Concílio, o Lord Tesoureiro caiu diante dele, dizendo que eles permitiriam que Maria reintroduzisse a idolatria. Eduardo perguntou: “É lícito pela Escritura sancionar a idolatria?", ao que o tesoureiro replicou que existiram bons reis em Judá que permitiram postes ídolo e ainda foram chamados bons. Mas a essa resposta inadequada, nosso sábio Eduardo respondeu: “Devemos seguir o exemplo de bons homens quando eles agem corretamente. Nós não os seguimos no mal. Davi era bom, mas seduziu Bate-Seba e assassinou Urias. Não devemos imitar Davi em atos como esses. Não existe nenhum exemplo melhor na Escritura?” Os bispos ficaram em silêncio. Então Eduardo concluiu: “Eu sinto muito pelo reino e pelo perigo que virá disso; espero e orarei por algo melhor, mas o mal não permitirei”.

Um benefício adicional de ter filhos é simbolizado pela figura de “plantas de oliveira” no Salmo 128:3. A figura é provavelmente a multiplicidade de filhos. Essas plantas de oliveira ao redor da nossa mesa não são apenas nossa riqueza, mas também nossa esperança para o futuro. Várias “plantas de oliveira” mostram que uma abundância de filhos não é apenas um sinal de riqueza, mas condena a miopia daqueles que restringiriam esse capital. Se os filhos são riqueza, então a decisão de diminuir essa riqueza pode ser comparada a um homem que envia uma mensagem ao seu banqueiro, pedindo para que ele decline todos os juros futuros sobre os rendimentos do seu dinheiro. Em muitos casos, o casal resolver “não ter mais filhos” é como dizer: “Não podemos receber mais das bênçãos de Deus!” Certamente nenhum ser humano lúcido reclamaria sobre o engrandecimento da sua riqueza!

Benefícios Adicionais: o Lar, a Igreja e o Mundo

baby01 Outro benefício de ter filhos é a expectação de ver os “filhos dos nossos filhos” (Sl. 128:6; Pv. 13:22). A benção dos filhos é transgeracional. Nossos filhos são flechas e nossos netos são “flechas das flechas”. Deus nos abençoa com esposas frutíferas, filhos piedosos e “filhos dos filhos”.

O lar cristão é um paraíso encastelado. Como disse Spurgeon: “Antes da Queda, o Paraíso era o lar do homem; desde a Queda, o lar tem sido o Paraíso do homem”. Assim, o Salmo 128 descreve uma família cheia de riqueza e bênção. É uma bela figura da vida no lar. E o Salmo 128 é um Salmo de conforto para aqueles que sofrem fora do casamento; saímos de casa para lutar e então voltamos para casa a fim de encontrar paz. Lembre-se: a palavra hebraica Shalom (paz) descreve nossa prosperidade espiritual e material.

Sem dúvida, seria errado restringir os benefícios de ter filhos ao enriquecimento da família somente. Os filhos beneficiam tanto a igreja como o mundo. Não temos filhos para povoar o inferno ...

ENSINANDO AS CRIANÇAS ORAR

A oração não deve, de modo algum, ser decorada, recitada.
Quando oramos a deus, abrimos nosso coração ao Pai, como fazemos a um amigo íntimo.
Deus é nosso Pai e nos ama muito, e nos conhece, a cada um de nós, como se fossemos únicos.
Ele “conhece até o número de fios de cabelo de nossa cabeça!...
Apresento abaixo uma idéia de como ensinar seu menino ou menina a orar a Deus.
Saliente que a oração deve ser feito em qualquer momento que o coração desejar... na hora da agonia ou da alegria...
Logo pela manhã mostre ao seu filho a necessidade de agradecer a Deus orando...
Amado Pai. Eu te agradeço pela noite que passou e pelo sono que restaurou a nossa energia. Eu te peço que fiques conosco durante essa manhã de atividades e aulas, abençoando e protegendo. Faça-nos crescer em conhecimento e sabedoria – humana e divina. Dá aos alunos e professores a inspiração e a motivação necessárias, para fazerem o melhor para si, pelos outros e para honra e glória do teu santo nome.
Em nome de Jesus, Amém

CRIANDO FILHOS…

PREÂMBULO

Um dos mais conhecidos pregadores da Inglaterra foi Richard Baxter. Quando jovem foi chamado à pastorear uma grande igreja, cujos membros eram ricos e instruídos. Achou-os, porém, frios e carnais. Por isto ficou desapontado e deixou-se levar pelo desânimo . No auge da crise, declarou: “O único meio de salvar a igreja e circunvizinhança é estabelecer a religião nos lares, e levantar o altar familiar”.

Passou três anos visitando casas e estabelecendo o culto doméstico. Seus esforços foram coroados de êxito . E assim o culto doméstico serviu de base a um movimento que trouxe à igreja, milhares de pecadores.

Richard Baxter provou que o altar familiar é indispensável para se estender as estacas do Reino de Deus.

CRIANDO FILHOS À MANEIRA DE DEUS - João 5.17-23

Introdução

1. Por vários dias busquei uma orientação de Deus acerca do que falar nesta palestra. Numa madrugada, tive um sonho. Eu pegara uma apostila e ao abri-la encontrava toda a palestra pronta, já escrita. Quando acordei procurei entre o meu material de pesquisa, se eu já tinha algo assim. Apesar de encontrar vários materiais, sabia que não era nenhum deles. Foi aí que veio à minha mente esta passagem bíblica que descreve muito claramente a relação entre o Pai Celeste e o Seu Filho Unigênito.

João – Cap. 05
Propósito Contínuo - 17 E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. 18 Por isso pois os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não se quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo se igual a Deus.

Capacitação - 19 Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer ao Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.

Amor - 20 Porque o Pai ama o Filho, e mostra-lhe tudo o que faz; e ele lhe mostrará maiores obras do que estas, para que vos maravilheis

Dom da Vida - 21 Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer.

Poder para Julgar - 22 E também o Pai a ninguém julga mas deu ao Filho todo o juízo;

Honra - 23 Para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou.

2. Como criar filhos à maneira de Deus ?

3. Entendo que há só uma melhor maneira de saber: observando a paternidade exercida pelo Pai Celeste.

4. Para efeito didático, permutaremos o termo “pai” para pais (pai e mãe).

5. Analisemos o texto supracitado.

I. PROPÓSITO CONTÍNUO

A. “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”. Por esta expressão , entendemos que há uma continuidade de propósito; propósito transmitido de Pai para Filho. Este propósito está ligado à essência que constitui a ambos – a mesma natureza.

B. Aplicando esta verdade a relação humana entre pai e filho, seria isto relativo ao fato de ambos terem a mesma natureza como salvos.

C. A salvação é uma dádiva de Deus, mas cabe aos pais o desenvolvimento do ensino sobre a mesma aos filhos.

D. Analisemos as observações da Palavra de Deus quanto a este assunto:

1. Abraão - Porque eu o tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para obrarem com justiça e juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado. Caberia a Abraão a responsabilidade de ordenar a seus filhos e casa, objetivando que eles guardassem o “Caminho do Senhor” e obrassem com justiça e juízo. Essa era a condição sine qua non para que o Senhor fizesse vir sobre Abraão o que acerca dele tinha falado. Deus havia prometido fazer dele “Pai das Nações”, mas havia uma aliança neste sentido, onde ambos haveriam de cumprir com suas respectivas partes.

2. Orientação paulina acerca do bispo – “ Convém pois que o bispo ... Governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia” (I Tim.3.2,4). O bispo deveria ter como característica o fato de governa bem a sua casa e ter seus filhos em sujeição.

3. Orientação paulina acerca do diácono - Os diáconos sejam maridos de uma mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas. Aos diáconos não foi pedido menos do que aos bispos.

4. Confissão de Josué – “... Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”- Js.24.15.

5. Relato de Jó – “Sucedeu pois que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente” – Jó 1.5.

Por estas passagens bíblicas compreendemos a importância de termos em boa mente, como pais, o cumprimento da responsabilidade em transmitirmos aos nossos filhos – o Propósito Contínuo.

Neste cenário, surge a indagação: Como transmitirmos o Propósito Contínuo aos Filhos ?

Vejo que há um só caminho: Através do Sacerdócio.

A função do “sacerdote”é apresentar Deus aos homens e os homens a Deus. Os pais precisam exercer o sacerdócio diante de Deus e dos Filhos.

Vejamos as orientações bíblicas quanto à responsabilidade dos pais:

1. Prov.1.8 - Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes a doutrina de tua mãe.

2. Prov.22.6 - Instrue ao menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.

3. Ef.6.4 - E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.

O ensinar dos pais aos filhos deve ser algo natural, corriqueiro. Entretanto, os pais têm falhado neste processo educacional diante para com os filhos.

Ainda pouco vimos o seqüestro de Patrícia Abravanel e a ameaça enfrentada pelo Empresário Silvio Santos oriundos de uma pessoa, o Fernando Dutra, que fora criado dentro de uma igreja evangélica.

Devido a fatos como estes entendemos que há fatos na educação dos filhos que são da nossa alçada como pais, mas que há coisas que são da alçada de Deus.

Há momentos em que fazemos a nossa parte de pais, mas os filhos não cumprem a parte deles.

R. A. Torrey conta que, embora ainda muito jovem, deu asas à imaginação e incredulidade e passou a zombar de Deus, de Cristo, da Bíblia e de tudo que se referia às coisas espirituais. Sua mãe, porém o amava. E , diante de Deus orava e suplicava por ele o tempo todo.

Torrey, por seu lado, continuou cada vez mais rebelde, até que um dia disse à mãe : “Estou tão aborrecido que vou embora para não lhe perturbar mais”. Ela o seguiu até o portão, chorando disse: “Meu filho, ao chegares à hora mais escura de todas, quando não houver mais esperança, se clamares ao Deus de tua mãe. Ele te ouvirá”.

Torrey, assim mesmo saiu para as trevas do pecado, onde se embrenhou sem pensar nas conseqüências. Muitos meses depois, achava-se hospedado num hotel, a mais de 600 Km da casa de sua mãe . Sem poder dormir, enojado de tanto pecar e já cansado de viver, levantou-se de madrugada com esta resolução : Pegarei o revólver, colocá-lo-ei à testa e findarei com este drama redículo chamado vida humana”. No entanto, lembrou-se das palavras de sua mãe: “Meu filho, ao chegares à hora mais escura de todas, quando não houver mais esperança, se clamares ao Deus de tua mãe. Ele te ouvirá”. Ele caiu de joelhos e orou: “Ó Deus da minha mãe, quero luz, e se me deres, segui-la-ei”. Não demorou muito a receber a tão almejada luz. Apressou-se, então, e foi para a sua casa. Planejou surpreender a sua mãe, porém, ela chegou ao portão sorrindo, e chorando de gozo , disse: “Ó meu filho, sei porque voltaste e sei o que tens para dizer-me. Tens achado o Senhor. Deus me disse”.

Todo o mundo cristão conhece a longa e ardente vida de R.A. Torrey. Através dele, milhares de vida foram levadas ao Salvador.

Conhecendo a história dele, podemos dizer: “Tudo pode a oração de uma mãe, pai, irmão, irmã, esposa, esposo, filho; tudo pode se não fizerem menos do que o seu melhor.

Você está fazendo o seu melhor na criação dos seus filhos ?

Na 1a. Guerra Mundial, quando Enrico Caruso estava no ápice da fama, chamaram-no para cantar num show beneficente.

Com o propósito de que ele não recusasse o convite lhe informaram de que ele não precisaria se esforçar muito, bastaria cantar qualquer coisa que não lhe requeresse esforço e habilidade, pois só o seu nome já atrairia uma enorme multidão.

Prontamente, ele respondeu: “Caruso, nunca faz menos do que o seu melhor”.

Assuma o compromisso diante de Deus agora: “Na criação dos meus filhos nunca farei menos do que o meu melhor”.

Tiago Taylor , bisavô de Hudson Taylor, antes do seu casamento passou horas em oração, na manhã de seu casamento, tomado pelas palavras de Josué : “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.

E Deus honrou a firme resolução de Tiago Taylor e deu-lhe um lar que produziu um missionário dos que mais honraram à Igreja, Hudson Taylor.

O Propósito Contínuo é o Supremo Alvo dos pais: Todos Nós Dentro da Casa Celestial!

“Querido, está anoitecendo ?”, perguntou a velhinha de 97 anos.

Vendo o marido que ela estava morrendo, inclinou-se para responder: “Sim, Marta, está anoitecendo”.

No seu delírio, ela pensava achar-se, como no passado, com os seus queridos no culto doméstico, por isto insistiu: “Os filhos estão todos em casa” ?

Sim, todos os filhos estão em casa, Marta.

O último filho fora chamado à Casa Celestial, havia três anos.

Depois de algum tempo, ela comentou:

- Vou já à casa, também.

- Sim , Marta, tu vais agora.

- E , tu, querido, irás também ?

- Sim , pela Graça de Deus, irei!

Ela estendeu as mãos e, colocando-as ao redor do pescoço do marido, fez com que ele se abaixasse ao seu lado e balbuciou:

- “E Deus fechará todos nós dentro da Casa Celestial”.

II. CAPACITACÃO

a. Os pais precisam capacitar aos filhos, no que diz respeito a parte da responsabilidade que lhes cabe.
b. Foi assim com vários personagens bíblicos:

1. Lídia – At.16.15 – “E depois que foi batizada, ela e a sua casa...”

2. Cornélio – At.10.24 - E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos.

3. Carcereiro de Filipos – At.16.34 – “E na sua crença em Deus, alegrou-se com toda a sua casa”.

c. A capacitação ( nos dias de hoje) dá-se-á nas esferas:

1. Espiritual;
2. Acadêmica;
3. Lingüística;
4. Musical;
5. Atlética;
6. Profissional;
7. Social.

d. Além desta capacitação humana, existe a divina: Deus se revelando a eles e capacitando a eles.

III. AMOR

Não há arma mais poderosa do que o AMOR! Deus nos alcançou através do AMOR! Não iremos alcançar os nossos filhos, a não ser pelo AMOR!

Quando eu estava no Exército Brasileiro, encontrava-me distante do Caminho do Senhor. Muitas vezes impossibilitado de comer a alimentação fornecida pela caserna devido a má qualidade dos alimentos, recebia de minha mãe quando ela se deslocava para ir à firma da família, um sanduíche e uma carteira de cigarro. Ela não gostava de que eu fumasse , mas por amor ela deixava no quartel a ambos.

Quantas e quantas vezes, eu comia aquele sanduíche, sentado na calçada com as lágrimas escorrendo na minha face. Ela me conquistou e alcançou para o Senhor através do AMOR!

No ano seguinte, minha mãe e uma tia começaram uma reunião de oração pelos filhos. Quando eu chegava do trabalho e asencontrava em oração , ficava na casa de um amigo em frente ao nosso lar até que a mesma acabasse ou entrava de fininho, tomava banho, trocava de roupa e saia sem fazer zoada.

Foi com AMOR que ela continuou orando e assim me alcançou!

IV. DOM DA VIDA

a. Celebrar a vida.
b. Compartilhar a vida.
c. Encarar a vida.
d. É preciso fazer festa com as pessoas da família!

V. PODER PARA JULGAR

a. Quem recebe capacitação, pode receber poder para julgar.

b. Devemos dotar aos filhos com autoridade para escolher o caminho em que deve andar, tal qual o alpinista que vai soltando a corda devagarzinho para que outra pessoa chegue ao seu alvo.

c. Teimamos em mantê-los como crianças!

d. Precisamos prepara-los para a vida!

e. Julgamos eles o tempo todo e não ensinamos a eles a julgar corretamente!

f. Temos que faze-los pensar!

g. Precisamos entregar as rédeas deles a eles!

VI. HONRA

a. É importante honrar aos filhos, fazer com que eles se sintam dignos!

b. Ver seu filho sendo honrado é ver a aprovação da obra de suas mãos, como pai ou mãe.

c. É saber que você deu conta do recado!

d. É saber que você cumpriu com a sua responsabilidade diante do Pai Celeste!

e. É saber que o seu Projeto vingou!

f. É saber que você colocou um ser idôneo no Reino de Deus!

g. É saber que você está trabalhando por uma família, igreja e sociedade melhor!

h. É saber que você valorizou a eles!

i. E se valorizou a eles, certamente, valorizou ao Senhor da Herança!

Conclusão

1. Criar filhos sem depender do Pai Celeste não é agir como filho de Deus e, sim, como bastardo!

2. Criar filhos no patamar natural e isenta-los do sobrenatural é oferecer a eles um futuro natural e medíocre.

3. Devemos como filhos de Deus buscar a inteira dependência do Pai, dando exemplo, para que nossos filhos aprendam a depender também de Deus.

4. Devemos fazer a nossa parte natural na criação dos filhos e encaminha-los para o Sobrenatural de Deus.

5. devemos fazer a nossa parte para que o Senhor tenha o ambiente necessário para fazer a parte d‘Ele.

6. “Se Deus colocasse um diamante em tuas mãos, ordenando-te que gravasses nele uma frase para ser lida no último dia, como índice de tuas idéias e sentimentos, com que cuidado escolherias as palavras ? É justamente isto que Deus fez quando colocou cada um dos teus filhos, puros e imaculados, nas tuas mãos. O que estás escrevendo nestes diamantes, pela oração, por teu espírito e exemplo, hora após hora, dia após dia, ano após ano, é para ser lido e exibido no grande dia.

MÃE: INFLUÊNCIA PODEROSA

Texto: Provérbios 15:22

Introdução:
Uma definição para Influência é: “Ação que uma pessoa ou coisa exerce sobre outra”
Nossos sentimentos podem nos levar a pensar que todas as mães têm boa influência sobre seus filhos. Mas a realidade é que isso pode ser bem diferente:
Existem mães que influenciam de forma benéfica seus filhos;
Existem mães que exercem uma influência negativa sobre seus filhos,

A Bíblia nos apresenta alguns exemplos bíblicos de mulheres que causaram um impacto na vida de seus filhos através de sua influência.
Neste dia das mães, quero destacar algumas mães que exerceram uma influência negativa sobre seus filhos, e desafiar para que sua família, faça neste dia um voto diante do Senhor a fim de exercerem sobre seus filhos um impacto para que else sejam grandes servos ou servas do Senhor.

Tese: O EXEMPLO DA MÃE CRENTE É UMA INFLUÊNCIA PODEROSA EM SEUS FILHOS

: Vejamos algumas mães que influenciaram a vida de seus filhos.

O primeiro exemplo de mãe que estudaremos será...
I. ATALIA (2 Cr 22.3)

1. Acazias era filho de Jeorão rei de Judá, com a morte de seu pai ele começou a reinar em
Israel, aos 22 anos de idade. Reinou conforme seu pai havia reinado, e fez o que era mal aos
Olhos do Senhor.

a. Acazias tinha o mau exemplo de seu pai.
(1) Talvez você tenha tido um mau exemplo do seu pai, e eu sei que isto não é bom, porém eu digo que: Os filhos não precisam seguir os passos errados de seus pais. Deus não vai aceitar a desculpa de que você fez coisas erradas na vida porque seu pai as fazia. A Bíblia diz que cada um dará contas de is mesmo a Deus.

b. Acazias tinha o maus exemplos do reino vizinho, “parentes”
(1) Diz também nosso texto que Acazias andou nos caminhos do reino vizinho, do reino de Acabe que reinava em Israel.
(2) Você não precisa seguir maus exemplos dos vizinhos, dos parentes, nem dos políticos, do governo etc.

Mas Acazias tinha ainda um dos piores exemplos:
C. Acazias teve sua mãe como conselheira
(1). Ela dava conselhos para que ele andasse nos caminhos da impiedade;
(2). Ela o aconselhava para que ele andasse longe dos caminhos do Senhor para sua própria perdição.

2. Alguém poderia perguntas: que mãe iria desejar o pior para seu filho? Essa mãe quis!
A. Aconselhou seu filho a andar longe de Deus.
B. Quantas mães estão fazendo o mesmo hoje, neste mesmo momento?(a) Filho, esta coisa de religião é bobagem!
(b) Filho, aproveite sua vida, enquanto você é jovem!
(c) Não me venha com essa coisa, não seja fanático religioso!
(d) Filho eu não preciso ir para a igreja hoje, você sim.
(e) Missionário? Nem pensar, você vai estudar para ser alguém na vida!

è O EXEMPLO DA MÃE CRENTE É UMA INFLUÊNCIA PODEROSA NA VIDA DE SEUS FILHOS
è Mães, ensinem seus filhos a não andar longe do Senhor, Ele é o único caminho, verdade e vida .

. Outro exemplo de influência negativa encontra na pessoa de...


2. REBECA (Gn 27.5-9)

1. Jacó não era o primogênito, não tinha o direito da bênção, e sim seu irmão Esaú, porém, sua mãe deu um jeitinho, deu conselhos e orientou seu filho.

a. Ouviu que Isaque iria abençoar a Esaú.
B. Idealizou um plano para roubar a bênção do outro filho, para seu filho preferido.
C. Aconselhou seu filho para enganar o próprio pai (Gn 27.9-13)
D. Ensinou ao filho como mentir, e enganar.

2. Talvez alguém pergunte: Que mãe iria ensinar seu filho a mentir, a enganar, a roubar aquilo que não lhe pertence? Essa quis!
3. Quantas mães, talvez sem pensar, estão aconselhando seus filhos neste momento da mesma forma que Rebeca?
A. A mentir para conseguir melhores resultados em sua vida material?
B. Quantas mães estão neste momento ensinando a seus filhos que else devem enganar outras pessoas para conseguir algo sem precisar se esforçar ou merecer?
C. Quantas mães estão ensinando seus filhos a colar na prova para poder passar de ano?
D. Quantas mães estão ensinando seus filhos a roubar aquilo que não lhe pertence?

è O EXEMPLO DA MÃE CRENTE É UMA INFLUÊNCIA PODEROSA NA VIDA DE SEUS FILHOS
è Mães, ensinem seus filhos a não faltar com a verdade, pois fazendo isso, você torna Satanás o pai de seu filho – 1 Jo 3.10

O terceiro exemplo de influência negativa encontramos na pessoa de...


3. HERODIAS (Mt 14.6-8)

1. Orientada por sua mãe a jovem atraente usou seu corpo, usou sua sensualidade dançando para o rei, para conseguir satisfazer os caprichos da mãe.
2. Após conseguir agradar o coração do rei, mais uma vez orientada por sua mãe a jovem pediu ao rei que matasse o profeta de Deus.
3. Alguém poderia fazer esta pergunta: Que mãe iria pedir que sua filha usasse seu corpo para conseguir algo em seu benefício? Essa quis!
4. Quantas mães até neste mesmo momento estão orientando suas filhas a usar o corpo para conseguir um bom casamento (financeiramente falando).
a. Quantas mães estão incentivando seus filhos a usarem seus corpos para conseguir fama, sucesso etc.
b. Quantas mães levam suas filhas para comprar roupas que colocam seus corpos em evidência, e quando questionadas respondem: o que é que tem isso!
c. Quantas mães por meio do que assistem na televisão, ensinam para seus filhos um padrão muito mais baixo e imoral?

è O EXEMPLO DA MÃE CRENTE É UMA INFLUÊNCIA PODEROSA NA VIDA DE SEUS FILHOS
è Mães, não ensinem seus filhos a brincar com o pecado, fazendo isso, você os coloca na beira do inferno, e não são poucos os lares que tem perdido seus filhos – Tiago 1.15


CONCLUSÃO
Três mães, que deram a seus filhos os piores conselhos que alguém poderia receber:
1. Andar longe dos caminhos do Senhor;
2. Outra aconselhou seu filho a roubar, enganar e mentir.
3. A outra aconselhou sua filha a usar o corpo para conseguir benefícios.

Ser mãe é influenciar vidas e O EXEMPLO DA MÃE CRENTE É UMA INFLUÊNCIA PODEROSA NA VIDA DE SEUS FILHOS

Pergunto então:
- Você tem influenciado seus filhos ao contrário do que estas mães fizeram:
1. Você tem influenciado seus filhos a andarem cada dia mais próximos dos caminhos do Senhor?
Você dá exemplo de como andar cada dia mais próxima do Senhor?
Lê a Bíblia com eles? Ajuda nas tarefas do cultinho? Você pergunta o que ele aprendeu na EBD?

2. Você influencia seus filhos a não roubar, a não enganarem a não mentirem, outras pessoas?
Você dá exemplo disso? Você é fiel nas suas contas? Sua responsabilidade com Deus nos dízimos?
3. Tem influenciado seus filhos a serem castos, puros, não exporem seus corpos.
Você dá exemplo disso com suas roupas? Seus programas de TV?

4. Medite então na vida de EUNICE (2 Timóteo 1.5)
Ele foi uma mulher de fé,
Ela influenciou seu filho a ser um grande pregador da Palavra do Senhor. (2 Tm 3.15)

Mães, decida ser conhecidas por causa do exemplo e influência cristã na vida de seus filhos.

Oração:
Senhor Deus peço que abençoe as mães da nossa igreja, nesta tarefa tão sublime, atribuída pelo Senhor mesmo a cada uma delas! Obrigado pelo seu cuidado com nossas mães. Se alguém não tem uma mãe crente aqui ainda que o Senhor não se esqueça dela e dá oportunidade para ela o conhecer como Salvador, é o que pedimos no nome de Cristo.

SIMBOLOS DA PEDOFILIA - FIQUE ATENTO!!!

O FBI produziu um relatório em Janeiro sobre pedofilia. Nele estão colocados uma serie de símbolos usados pelos pedófilos para se identificar.
Os símbolos são, sempre, compostos pela união de 2 semelhantes, um dentro do outro. A forma maior identifica o adulto, a menor a criança.
A diferença de tamanho entre elas demonstra a preferência por crianças maiores ou menores. Homens são triângulos, mulheres corações. Os símbolos são encontrados em sites, moedas, jóias (anéis, pingentes,...) entre outros objetos.

Os triângulos representam homens que adoram meninos (o detalhe cruel é o triângulo mais fino, que representam homens que gostam de meninos bem pequenos); o coração são homens (ou mulheres) que gostam de meninas e a borboleta são aqueles que gostam de ambos. De acordo com a revista, são informações recolhidas pelo FBI durantes as suas investigações. A idéia dos triângulos e corações concêntricos é a da figura maior envolvendo a figura menor, numa genialidade pervertida de um conceito gráfico. Existe um requinte de crueldade, pois esses seres fazem questão de se exibirem em código para outros, fazendo desses símbolos bijuterias, moedas, troféus, adesivo. Infelizmente, é o design gráfico ao serviço do mal.


SE VC VER EM ALGUM CANTO , DENUNCIE!!!!!!!!!

QUEM AMA EDUCA

Palestra ministrada pelo Dr. Içami Tiba

1. A educação não pode ser delegada à escola.
Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo.
Não se pode castigar alguém com internet, som, tv, etc.

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo.
Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. Confrontar o que o filho conta com a verdade real.
Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento.
O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais.
Ambos devem mandar. Os pais não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai disse que não ganhará doce, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente. Em casa que tem comida, criança não morre de fome. Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

7. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

8. Temos que produzir o máximo que podemos, pois na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio.
Não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

9. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer.
O prazer é inconsequente, pois aquela informação de que droga faz mal não está gerando conhecimento.

10. A gravidez é um sucesso biológico, e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

11. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para da droga fazer uso. A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.

12. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho.
Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

13. Homem não gosta quando a mulher vem perguntar: 'E aí, como foi o seu dia?'.
O dia, para o homem, já foi, e ele só falará se tiver alguma coisa relevante. Não quer relembrar todos os fatos do dia..

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz.
Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se desistir ou for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Mães, muitas são loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).

19. Se a mãe engolir sapos do filho, a sociedade terá que engolir os dele.

20. Videogames são um perigo.
Os pais têm que explicar como é a realidade. Na vida real, não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

21. Professor tem que ser líder.
Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.

22. Pai não pode explorar o filho por uma inabilidade que o próprio pai tenha.
'Filho, digite tudo isso aqui pra mim porque não sei ligar o computador'. O filho tem que ensiná-lo para aprender a ser líder. Se o filho ensina o líder (pai), então ele também será um líder. Pai tem que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível o pai pagar para falar com o filho que mora longe.

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa.
Não há hierarquia. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que saber qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto que isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Tem que controlar e ensinar a gastar.

Palestra ministrada pelo Dr. Içami Tiba, Psiquiatra, em Curitiba, 23/07/08.- Médico pela Faculdade de Medicina da USP. Psiquiatra pelo Hospital das Clínicas da FMUSP..- Professor-Supervisor de Psicodrama de Adolescentes pela Federação Brasileira de Psicodrama.- Membro da Equipe Técnica da Associação Parceria Contra Drogas - APCD.- Membro Eleito do Board of Directors of the International Association of- Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho "Via de Acesso".- Professor de diversos cursos e workshops no Brasil e no Exterior.- Criou a Teoria Integração Relacional, na qual se baseiam suas consultas, workshops, palestras, livros e vídeos.- Em pesquisa realizada em março de 2004, pelo IBOPE, entre os psicólogos do Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba como terceiro autor de referência e admiração - o primeiro nacional.

ORGANIZE O CONSELHO PELA NÃO VIOLÊNCIA EM SUA ESCOLA


A violência está crescendo em nosso país e em nossa vida, manifestando-se em diversas formas: física, econômica, racial, psicológica, religiosa e pessoal, como no isolamento, na falta de comunicação, resignação e sem-sentido. A violência não somente se instalou no poder e nas ruas, mas também no interior de cada indivíduo, nas relações de família, amizade, no trabalho, escolas e universidades.

A POLÍTICA E A ECONOMIA EM MÃOS DE UM SISITEMA PERVERSO GERAM VIOLÊNCIA.

A FALTA DE COMUNICAÇÃO GERA VIOLÊNCIA.

O ISOLAMENTO GERA VIOLÊNCIA.

A violência é portanto pessoal e social sendo então um problema de todos.

Nossa proposta é levar a Campanha pela Não-Violência para as escolas de nosso bairro, esta campanha que vem crescendo e tomando força já em diversos países nos cinco continentes. Povos de diferentes culturas estão se unindo num projeto de verdadeira transformação social, que parte das pessoas comuns, das pessoas que se organizam em bairros, se organizam em escolas, mostrando que é possível sim a realização de ações que façam a situação de violência retroceder.

Os conselhos pela não-violência se organizam em pequenos grupos que se reúnem para realização de oficinas e elaboração de propostas de mudança. O primeiro passo é a formação dos orientadores, que formarão os núcleos impulsionadores do projeto.

Esta campanha está baseada na Metodologia da Não-Violência Ativa, proposta por Ghandi, Martin Luther King e Silo, metodologia esta que deu origem ao Movimento Humanista na década de 70, desde então, humanistas de diversos países aperfeiçoaram esta metodologia que associa o auto-conhecimento com a conhecimento dos problemas sociais, fazendo uma relação dos problemas pessoais com os problemas sociais e abrindo o diálogo entre os membros das comunidades, possibilitando a realização do trabalho conjunto pelas melhorias de um tipo de vida que não nos interessa mais.

Entre em contato para que façamos uma visita à sua Escola e possamos juntos fazer crescer ainda mais este lindo projeto.

Ana Paula P. Souza (Pedagoga e Orientadora do Movimento Humanista)
e-mail: anaphumanista@yahoo.com.br
tel.: (21) 3087- 4741 / 8785-0357

CRISE DE BIRRA: O QUE EU FAÇO AGORA?


Essa cena, mamãe, você certamente já deve ter presenciado: seu filho esperneia e faz birra em algum lugar público, na maioria das vezes por um motivo aparentemente fútil. Choro, chutes, gritos, xingamentos e atiramento ao chão são as reações mais comuns. Você não sabe onde esconder o rosto. A grande dúvida dos pais é o que fazer quando a criança começa com uma crise de birra. Só que vamos puxar para uma outra questão: o porquê das crises de birra acontecerem.
Se for a primeira vez que isso ocorre, a criança pequena ainda não sabe lidar com grande parte de seus sentimentos, principalmente no que diz respeito à frustração. Ela não consegue expressar isso através da linguagem e age na forma de birra. Cabe aos pais continuar firmemente em sua opinião e não ceder às vontades da criança. Mas é num gesto teoricamente de carinho que pode servir de entrada para uma criança “pentelhinha”.
O “teatrinho” em lugar público acontece em grande parte em razão do sim dos pais às vontades da criança. Os pais dão ao filho o controle de toda situação e a criança não é capaz de lidar com todo esse controle. Cada vez que ouvirem um não, as crianças agirão sempre da mesma forma, pois sabem que dessa maneira conseguirão o que querem.
De quem é a culpa? - Pais, será que não são vocês o culpado por uma atitude malcriada de seu filho? O sentimento de por trabalhar fora e ter pouco tempo com os filhos fazem os pais serem permissivos demais. Essa culpa dos pais pode formar crianças sem limites, autoritárias e chatas, sem saber lidar com as frustrações da vida.
Comodidade ou pais que não tem paciência preferem ceder aos desejos do filho a que ter que arcar com a frustração da criança de levar um não. É muito mais fácil fazer as vontades da criança do que impor limites. Apesar de resistente às regras, a criança precisa delas para crescer e se sentir segura. Essa regra deve ser imposta de um mesmo modo.
O certo e errado ficará confuso quando a mãe disser sim e o pai, não. A criança percebe esse desequilíbrio e sempre recorrerá àquele que vai ceder ao seu desejo. Deve haver um consenso entre os pais, um não deve desautorizar o outro. Sinais de um “cri-cri” - Esse comportamento pode aparecer na escola, onde a criança poderá ter problemas de relacionamento com os outros coleguinhas por ser muito mandona ou, ainda, os pais perceberão que na escola o filho é um “santinho”, pois lá existem regras a serem seguidas e em casa são desobedientes e autoritários devido à falta de limites. Outra questão é querer proteger a criança de qualquer perda, tristeza ou frustração. Assim, quando os pequenos entram em contato com algum desses sentimentos, pois não ficarão para sempre debaixo da proteção dos pais, não sabem suportar a situação e lidam de um modo exagerado. Nem tudo o que é radical é bom.
Pais muito autoritários, por exemplo, acabam gerando filhos tímidos e com pouca criatividade. O bom senso e o meio termo dos pais é o que vai contar. Quando tem uma crise de birra, criança mal consegue ouvir o que lhe dizemos e muito menos compreender. Os pais devem ser firmes com o filho e jamais ceder ou bater na criança. Bater gera mais raiva e medo e o que os pais devem querer e saber tirar de uma criança é o respeito. Ninguém disse que seria fácil ser mãe, que o diga uma criança birrenta. Dicas Pais são pais e não amigos. Podem ser pais amigos, mas nunca devem deixar de ser pais. Sempre existe uma vovó ou um vovô para satisfazer as crianças, seja como for. Ainda bem! Brinquedo é diferente de brincadeira. A criança precisa de brincadeira com os pais e não que os pais comprem um brinquedo.
É através da brincadeira que os pais impõem limites, dão carinho, atenção e amor. Até os três anos de idade a criança entende mais uma a ação do que uma ordem. Quando disser “não mexa” também retire a mão da criança do lugar inadequado.
fonte:guiadobebe. uol.com

Nenhum comentário:

APAIXONADA POR JESUS E ELE POR MIM

JOGRAL

___________________________________________________________________________Jogral - O Nome de Jesus
Todos - Muito antes do Messias À terra vir habitar Seu Pai procurou com amor Um lindo nome lhe dar.
1 - Seu nome será Maravilhoso,Porque maravilhas ele fará, Fará prodígios e curas, Até mortos ressuscitará.
2 - Seu nome será Conselheiro Porque conselhos dará,Através de sermões e parábolas Que ao povo pregará.
3 - Seu nome será Deus Forte Pois a tudo vencerá Vencerá até a morte, Porque ressuscitará.
4 - Seu nome será Príncipe da PazPorque a paz pregará. E quem for pacificador Bem-aventurado será.
5 - Seu nome será Pai da Eternidade Porque eterno ele é.Ele estava no princípio com Deus Reconciliando o mundo através da fé.
6 - Seu nome será Emanuel,"Deus Conosco" - quer dizer.Quem o buscar de coração Ele pode socorrer.
7 - Seu nome será Cristo Porque será sofredor,Será ferido, humilhado E pregado numa cruz de horror.
Todos - JESUS - é o mais belo nome Acima de todos está.

SE NÃO AGRADA A DEUS TÔ FORA

SE NÃO AGRADA A DEUS TÔ FORA
DIGA NÃO AO HALLOWEEN